quarta-feira, 5 de agosto de 2020

Barrocas: Os impactos, as novas regras e os efeitos da pandemia no comércio local

Anailma, Aberlan e Madian - Foto: JNV
A pandemia do Covid-19 atingiu inesperadamente o comércio e trouxe um impacto incalculável para a economia do país. No Brasil seu início foi em 26 de fevereiro de 2020, após a confirmação do primeiro caso em São Paulo. Barrocas registrou o seu primeiro caso positivo em 9 de maio, mas antes mesmo da primeira infecção, o município adotou medidas, dentre elas em 18 de maio, publicou o decreto municipal que restringiu o funcionamento de algumas empresas e reduzia o horário de funcionamento de outras. 

Restrições necessárias naquele momento, mas que acabou trazendo uma grande impacto no comércio local, na economia do pequeno município. Diante da presença do vírus no município, comerciantes precisaram mudar suas rotinas de atendimento, adotar novos hábitos para preservar a saúde dos funcionários e dos clientes.

Alguns seguimentos sem poder funcionar no horário normal, intensificaram o serviço de entrega via Delivery para continuar funcionando e atendendo os consumidores. A atendente Anailma dos Santos, 18 anos, que trabalha na Pizzaria Paulista em Barrocas, falou como a empresa conseguiu se reinventar neste momento crítico: "Primeiro tomamos um susto, tivemos que fechar a pizzaria, ficamos muito preocupados e apreensivos, pelo fato e pelo medo de ter que desempregar pais de família e pessoas que precisavam do emprego no momento, assim como eu. Mas, graças a Deus tivemos o delivery que nos ajudou, de certa forma por mais que a gente tenha ele, fomos obrigados a vender um produto promocional, a baixo do preço. Tivemos que ter um preço acessível,  porque o produto que a gente trabalha, a pizza, não é para todos no momento que estamos passando, a pizza passa a ser luxo na mesa de muitos, e a gente tinha que ter um preço atrativo para manter o comércio girando e garantir nossos empregos", destacou.

Atendente de Cal center de Pizzaria, Anailma dos Santos
Proprietário do Supermercado Estrela, Aberlan Cosme, 24 anos, contou que do funcionário ao cliente, foi necessário redobrar os cuidados com o atendimento no dia-a-dia:"as principais mudanças com a covid-19 tem sido o uso da máscara, limite e horário de clientes. A gente reduziu o horário em uma média de 3 á 4 horas diária. O cliente teve que se adaptar a situação juntos conosco, onde eles só entram na loja com máscara e o uso do álcool gel. Infelizmente alguns não querem fazer o uso da máscara, e também do álcool gel, mas a gente tem buscado com a conversa, pelo menos o uso da máscara. Temos orientado que usem, é um bem para a gente que tá trabalhando e para eles que estão vindo a loja", destacou o jovem empresário.

Sobre a questão financeira, Aberlan explica que parte das medidas do Governo, a exemplo do auxilio emergencial, socorreu as famílias impactadas durante a pandemia: "Tem sido difícil, mas a gente está superando, as vendas tem aumentando por conta do auxílio. Estamos lutando e trabalhando dentro do limite orientado. A equipe da Estrela vem lutando diariamente para que não venha piorar a situação é feito o mínimo, mas é um pouco que se a gente deixar de fazer a tendencia é piorar", alertou. 

Empresário do ramo de supermercado - Aberlan Cosme
Atuando em um dos setores bastante afetados pelos decretos durante a pandemia, a empresária no ramo de salão de beleza, Madian Oliveira, 32 anos, que trabalha no município há mais de 10 anos, falou sobre a queda do financeiro da empresa, mas que vem tentando, mesmo em meio a crise, buscar estratégias para manter a receita financeira em dias: "A maior mudança vem sendo a redução do horário e a redução no número de cliente e consequentemente a queda nas vendas dos produtos e serviços. Estamos orientando os clientes com o distanciamento, uso da mascara, uso do álcool gel na entrada e  com horário determinado para cada cliente. Estamos buscando estratégias para que a queda não seja tão grande e assim superar o  financeiro", relatou. 

Madian Oliveira Empresária do ramo de Salão de Beleza
Em todos os ramos de atividade é preciso cuidado e cautela no atendimento ao cliente, preservar a saúde tem sido a principal preocupação dos comerciantes barroquenses. Porém a vida financeira da empresa é muito importante e também preocupa, algumas despesas não são reduzidas junto com o horário de funcionamento. O financeiro afeta alguns ramos mais que outros, com isso é preciso buscar estratégias para não apenas adaptar-se as mudanças, mas sim conseguir se manter no mercado enquanto durar a pandemia. 

@ Nossa Voz - Da Redação Por Ana Clara Santos / Colaborou Victor Santos e Rubenilson Nogueira

Sem comentários:

Publicar um comentário