quarta-feira, 13 de setembro de 2017

Barrocas: Estudantes lamentam suspensão de transporte, após se recusarem a pagar R$50 reais por mês como complemento do valor pago pela Prefeitura Municipal

Imagem Ilustrativa - Reprodução
É de se estranhar, que aqueles que se interessam pelos estudos, tenham que enfrentar dificuldades, receber alguns nãos e serem prejudicados por falta de apoio do poder público municipal. É o que está acontecendo no município de Barrocas, conforme relatos de duas estudantes, uma delas universitária da UNEB e outra do IF Baiano, em Serrinha.

Nos últimos dias, os estudantes estão tendo que viajar em carros que fazem transporte alternativo, pagando do próprio bolso os custos das viagens.

Em contato com o JNV, as estudantes relataram que para ir à Serrinha no turno da manhã, aceitaram pagar mensalmente R$50,00 (cinquenta reais) e que o valor seria uma forma de compensar o motorista por não estar recebendo o valor devido pelo serviço de transporte de 11 estudantes por parte da Prefeitura Municipal.

O pagamento do valor extra, ainda conforme relatos, deveria ocorrer durante seis meses até que "a casa fosse arrumada", porém passados esse tempo, nada mudou, houveram reuniões com a Secretária de Educação, Jaqueline Avelino, que teria dito que nada podia ser feito, e que 'a situação só seria resolvido no próximo ano', contou uma das jovens.

Os relatos com pedido de ajuda, foram enviados à Redação do JNV na noite da terça-feira (12), apesar de terem se identificado, temendo represálias, as estudantes uma de 25 e outra de 20 anos pediram para não terem a identidade revelada na matéria.

Leia os relatas na íntegra:

ESTUDANTE DA UNEB: "É sobre o transporte escolar que o motorista parou de ir porque o prefeito não quer pagar o valor total. Então o motorista não está indo, estamos pagando carro de praça para Serrinha pela manhã. É o seguinte: Eu estudo pela manhã em Serrinha. No início do ano nós que estudamos neste horário procuramos Jai (Prefeito) para que ele colocasse um transporte porque não tinha, ele deu o carro, leva 11 pessoas, mas estamos pagando 50 reais para complementar o salário do motorista. Segundo Kely (Secretária de Educação) só seriam seis meses, período que iria organizar a casa. Mesmo sabendo que não era nosso direito aceitamos, porque seria pouco tempo. Já se passaram sete meses nada foi resolvido. Esse mês ninguém aceitou mas pagar, então voltamos a conversar com ela, já tiveram três reuniões,na secretaria de educação, mas ela apenas fala que não pode fazer nada. Buscamos informações no Conselho Municipal de Educação, recebemos orientação que não podemos pagar, devido outros turnos terem o transporte sem custo por parte dos estudante. Marcamos outra reunião para passarmos o informe recebido para Kely (Secretária de Educação), ela simplesmente respondeu que estávamos levando para o lado político, porque estávamos procurando o CME. Hoje (terça-feira), tivemos outra reunião e ela simplesmente afirmou que só pode ser resolvido isso ano que vem. Agora o motorista não está mas indo. Estamos sem transporte, ou seja, tem transporte apenas tarde e noite. Desta forma, parece que os alunos que estudam pela manhã precisam trancar os cursos técnicos e a faculdade, para começarem somente ano que vem" relatou a universitária.

ESTUDANTE DO IF BAIANO: "Boa noite, sou aluna do IF Baiano e queria fazer uma denuncia relacionada ao transporte escolar. No início do ano fui a prefeitura solicitar o transporte para levar eu e mais 4 colegas até a instituição, eles falaram que iam conseguir o carro, aí depois de um tempo passamos a ir no carro junto com outras meninas da UNEB e do SENAI porém logo no início fomos a uma reunião na secretaria de educação onde a secretária falou que agente teria que pagar parte do transporte por que a prefeitura não tinha condições de arcar com o valor total. Ficou estipulado que cada aluna pagaria 50,00 reais por mês até que eles conseguissem "organizar a casa" , com isso uma das alunas do IF já desistiu de ir no carro por que ela falou que não seria viável pra ela. O prazo para que eles conseguissem se organizar seria até Julho porém passou junho e nada foi resolvido, aí fomos a outra reunião com Kely (Secretária de Educação) e ela disse que nada poderia ser feito por que as licitações já tinham sido fechadas e não tinha como incluir mais o carro. Fizemos uma denuncia no Conselho Municipal de Educação onde o presidente se comprometeu a conversar com Kely (Secretária de Educaçãosó que ela mesmo assim não resolveu nossa situação. Por fim já fomos a 3 reuniões para tentar resolver essa questão é nada foi resolvido até hoje, nós nos informamos dos nossos direitos e sabemos que não podemos pagar pelo transporte escolar que é gratuito pra todos os outros turnos e até pela manhã mesmo. Só no povoado de Minação tem 2 carros pequenos rodando pela manhã e as alunas não tem que pagar nada e apenas o nosso carro é obrigado a pagar. Resolvemos que não iriamos mais pagar, e o motorista falou que não dava mais pra ele rodar pelo valor que ele tava recebendo por isso essa semana não tivemos mais transporte pra ir a Serrinha, estamos pagando do nosso bolso e sabemos que temos o direito a ter transporte escolar gratuito . Tivemos informação que a prefeitura só paga 1.000,00 reais ao motorista e ele tem que arcar com a gasolina do próprio bolso e a manutenção do carro também. Sabemos que não é um valor justo levando em conta que ele leva 11 alunas e os outros motoristas que levam apenas 4 recebem o valor total. Porém nós alunas não podemos pagar do nosso bolso a parte que falta já que outros alunos não pagam nada" contou a jovem que faz curso Técnico em Agropecuária.

A Prefeitura Municipal de Barrocas tem fornecido regularmente o transporte de estudantes universitários e de cursos técnicos, para Serrinha e Feira de Santana em outros turnos. Porém além das reclamações sobre o transporte para Serrinha pela manhã, quem estuda em Conceição do Coité, também estão arcando com os custos do transporte. Ver aqui!

Procurado, o presidente do Conselho Municipal de Educação, Gilmar Mota afirmou que tomará as medidas cabíveis, 'acionando inclusive outros órgãos colegiados que acompanham e fiscalizam o transporte escolar'.

Diante da dificuldade de contactar a Secretária, deixamos aberto o espaço para que se achar necessário, ela entre em contato com nossa Redação. Contato 75 99189-6185 / e-mail: rubem.nogueira@bol.com.br

@ Nossa Voz - Com participação popular.

Sem comentários:

Enviar um comentário