quarta-feira, 24 de fevereiro de 2021

Barrocas: Caçadores estão matando animais silvestres na Serra do Gitaí e imediações

Foto: Reprodução / Print Vídeo

Único bioma exclusivamente brasileiro, a Caatinga é também uma particularidade do nordeste, constituindo aproximadamente 10% do total do território nacional. É preciso registrar que, de acordo com dados do Ministério do Meio Ambiente, cerca de 80% da nossa caatinga já foram alterados, sendo considerado um dos ecossistemas mais degradados do planeta.

Infelizmente, essa situação é também uma realidade no município de Barrocas, localizado no Território do Sisal da Bahia, cerca de 190 km da capital; caça, desmatamento e incêndios, sejam acidentais ou programados, estão pondo em risco todo esse ecossistema. Os animais silvestres, alguns deles em extinção, continuam sendo alvo principalmente da caça predatória. É o que vem acontecendo na serra próxima ao Povoado do Gitaí.

No último domingo dia (21), um filhote de veado foi encontrado morto sem ferimentos, o que chamou a atenção de trilheiros que seguiam numa trilha na proximidades do Rio de Pedras na caatinga da Fazendo Lagedo. O animal segundo os relatos, não apresentava ferimento, por isso, acredita-se que a mãe foi morta por caçadores e o filhote acabou perdido, vindo a morrer possivelmente de fome e sede: "Nós deparamos com o bichinho caído lá, e aparentemente, é filhote e acho que tinha pouco tempo que tinha morrido. Eu mexi nele e tava todo mole ainda, não tava duro não. Aparentemente ou fome ou sede,  porque era muito novo, acho que ele tava perdido, pois não tinha machucado nenhum, olhamos direitinho", afirmou o trilheiro.

Essa hipótese foi levantada, porque um homem que tem propriedade na região da serra, afirmou que dias atrás um trabalhador encontrou uma fêmea morta, possivelmente após ser atingida por tiro de caçadores, ela correu e acabou morrendo sem ser localizada: "semana passada tinha uma morta que eles balearam e não conseguiram levar", afirmou. 

De acordo com fontes do JNV, com esse filhote, já são três veados que foram encontrados mortos na região neste mês: "vem gente de vários lugares caçar lá. Isso é direto, já tem um ponto que eles ficam", contou.

Matar, perseguir, caçar, apanhar, utilizar espécimes da fauna silvestre, nativos ou em rota migratória, é crime sujeito a detenção de seis meses a um ano, e multa.

@ Nossa Voz - Por Rubenilson Nogueira

Sem comentários:

Publicar um comentário