quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

Escola é furtada pela segunda vez em menos de uma semana e revolta educadores e moradores de São Miguel do Ouricuri

Fotos: Daniele Oliveira
Pela sétima vez, a segunda só nesta semana, a Escola Roque Avelino de Queiroz foi invadida por ladrões que agem sem nenhum temor. A situação revoltou moradores da comunidade de São Miguel do Ouricuri, Zona Rural da cidade de Barrocas que cobram providências. 

Os ladrões agem geralmente à noite, pulam o muro, arrebentam portões, quebram cadeados e conseguem entrar sem dificuldade na diretoria, cantina e almoxarifado, para roubar equipamentos eletrônicos e outros objetos, a situação virou rotina, os professores lamentam a situação.

Os arrombamentos continuam acontecendo mesmo após a instalação de câmeras, ampliação do muro, mudanças dos portões além de outras atitudes tomadas pela comunidade como um abaixo assinados pedindo mais segurança na escola, tudo tem sido em vão, pois as ações não intimidaram os ladrões nem sensibilizaram as autoridades. 

No último final de semana, a escola já havia sido invadida, na ocasião os ladões conseguiram levar muitas coisas (ver aqui), mas retornaram e desta vez praticamente deixaram a unidade sem equipamentos. Outro boletim foi registrado, a policia esteve no local mas nenhuma atitude segundo os moradores foi tomada.


O ataque foi percebido nesta quinta-feira (12), por volta das 08hs quando uma funcionária foi abrir o colégio para fazer as matrículas, ela percebeu que o portão estava sem o cadeado e logo deduziu que indivíduos teriam roubado a escola novamente.

Desta vez os ladrões levaram 1 gravador, 2 câmeras digitais,1 câmera semi profissional fujifilm, 1 caixa amplificadas, 1 carregador de notebook e as bocas de som de outra caixa amplificada. Os ladrões deixaram para trás muita bagunça no deposito, diretoria e cantina.

Segundo funcionários  os equipamentos são comprados com recursos próprios (PDE - PDDE Mais Educação, Atleta na Escola etc.) e isso tem causado um grande prejuízo não só financeiro.


Em conversa com alguns moradores, alunos e funcionários eles disseram que estão pensando em uma ação mobilizadora na tentativa de resolver a situação e cobram da polícia uma posição ou pronunciamento; "O que falta da polícia é uma investigação mais apurada, já que os roubos tem sido com frequência e precisa também de uma ação coletiva, tanto do poder público quanto da segurança (polícia)" expressou uma moradora que pedia para não ser identificada.


"O último roubo foi no final de semana, mas a polícia só veio aqui na quarta-feira, e após isso ninguém é preso, fica tudo por isso mesmo" lamentou outra moradora.

Até o momento nenhum suspeito foi preso, recentemente a escola do Povoado de Minação também foi arrombada e teve equipamentos furtados (veja aqui).


@ Nossa Voz - Por Daniele Oliveira

Sem comentários:

Enviar um comentário