quarta-feira, 8 de julho de 2015

Barrocas: Sem merenda, estudantes do povoado de Ladeira voltam pra casa mais cedo

Escola libera alunos às 10:30
A falta de merenda na Escola Horisvaldo Santos, no povoado de Ladeira, Zona Rural de Barrocas, tem feito com que alunos voltem mais cedo para casa prejudicando o aprendizado de muitas crianças. 

O problema da merenda escolar do município ocorreu com freqüência durante durante vários meses do ano passado, neste ano, a Secretaria Municipal de Educação tentou evitar a falta da merenda,mas, infelizmente parece que não teve êxito. 

Morador do Povoado de Ladeira, o senhor Carlos Julio, pai de um aluno da Escola Horisvaldo Santos, chateado com a falta da merenda e consequentemente, preocupado com os prejuízos educacionais em virtude da liberação dos estudantes antes do horário normal, manteve contato com nossa redação;

“Boa tarde, sou Nem morador do povoado de Ladeira, queria deixa meu lamento aqui para a merenda da escola daqui, nunca chega merenda aqui para as crianças, ai elas são liberadas 10:30, fica pouco tempo demais para ter uma educação digna que todas elas merecem” lamenta um pai de um aluno da unidade escolar; “Pede a ao senhor prefeito e para a secretaria observarem essa situação. retornaram as aulas hoje e a merenda que chegou aqui para a escola da ladeira só foi tempero e nada, mas isso é muito vergonhoso” relatou o morador conhecido como Nem de Pito.

O pouco que resta são temperos 
Nesta quarta-feira (8), nossa equipe visitou a escola, e encontrou armários, dispensa, fruteira, panelas e geladeira vazias, uma das poucas itens armazenada é o tempero, os funcionários aguardam os demais ingredientes para aprontar a merenda.

Conforme relatos das mães dos estudantes, desde quando iniciou o período letivo a unidade recebe de maneira insuficiente os ingredientes que compõe o cardápio escolar. 

Devido a falta da merenda, durante o turno matutino e vespertino cerca de 70 crianças do Ensino Fundamental I são liberados as 10:30h, decisão que segundo professores, foi comunicada à Secretaria Municipal de Educação, e que compromete diretamente as aulas planejada pelos educadores, pois perdem 1 hora diariamente de ensino por conta da ausência dos alimentos.

Penela virada, sem ser usada a alguns dias
Segundo as informações a merenda que chega não supre a alimentação diária dos alunos. Por conta disso muitos pais precisam gastar comprando lanche, a situação fica mais delicada quando a família não tem condição de arcar todos os dias com os custos, chegando a haver compartilhamento entre os alunos.

Não conseguimos contato com a direção da unidade, porém uma professora juntamente com o vereador e também professor, José Santiago conhecido como Nititinho da Ladeira acompanharam nossa equipe pela escola, na cozinha tivemos acesso aos armários e dispensa, constatamos apenas o tempero preparado e congelado pela merendeira aguardando a chegada dos itens do cardápio que deveria ser servido aos estudantes.

Viviane Silva
A Srª. Viviane Silva Gois Lopes, mãe de uma estudante de 9 anos do 4° ano diz estar preocupada com o desempenho e futuro de sua filha; “Minha filha tem 9 anos, daqui a uns dias ela vai estudar na Minação (povoado próximo) e vai ir prejudicada sem as aulas. Nós queremos saber o porque está acontecendo isso, pra onde está indo a merenda?” questionou. 

A dona de casa conta que diariamente houve da filha a informação de que não há merenda na escola; “Mainha não tem merenda, estão soltando nós mais cedo” . A solução para não ver os filhos retornando mais cedo para casa, será a compra da merenda pelas famílias; “Se não tiver merenda, as mães vão se responsabilizar em colocar um lanche ou fruta para ter aula normal” explica Viviane. 

Isabel Carvalho
Para a Sr. Isabel Carvalho Queiroz, conhecida como Belita, a Prefeitura deve tomar uma atitude imediata; “A Prefeitura tem que fazer as coisas corretas, não temos condições de pagar uma escola particular, então o que eu quero é um futuro melhor para minha filha”. Estudando no 1° ano e com apenas 6 anos, a filha de Belita conta para a mãe que as vezes a merenda é apenas arroz; “Ou é arroz sem carne ou diz que não tem nada. Basta trazer a merenda pra ter o horário certo de aula, porque isso é muito triste, pois tem a verba” lamentou.

“Aqui até os banheiros fazem vergonha, pra segurar o papel higiênico uma corda de sisal foi improvisada, os vasos e pia quase não prestam” relevou outra mãe que preferiu não se identificar. 

José Santiago
“É lamentável, cobro sempre na câmera de vereadores para que as ações cheguem não só aqui na Ladeira, mas como sou professor na escola da comunidade sinto na pele a realidade, estou sendo cobrado o tempo todo pelas mães, que me perguntam que providencias estamos tomando” disse o Político.

Com as dispensas vazias e salas liberadas o professor considera prejudicial para a classe ter o horário de aulas reduzido; “As crianças às vezes chegam sem tomar café, uma até quase desmaiando de fome, e isso as mães estão revoltadas porque a educação dos filhos fica comprometida”.

Caso o problema não seja resolvido, mães e pais de alunos planejam uma mobilização para os próximos dias , um abaixo-assinado será lançado para em seguida ser encaminhar ao Ministério Público (MP-BA) afim de solicitar uma investigação da forma como que vem sendo tratada a distribuição da merenda escolar da Escola Horisvaldo Santos.

Enquanto isso salas vazias. 
@ Nossa Voz - Da Redação

Sem comentários:

Enviar um comentário