quinta-feira, 14 de novembro de 2019

“ACM Neto precisa ser responsabilizado pela eleição de Bolsonaro”, afirmou deputado que foi bem votado em Barrocas

Foto: Por: Vagner Souza/BNews
O Deputado Federal Jorge Solla (PT-BA), que recebeu na última eleição, 1090 (mil e noventa) votos em Barrocas, participou nesta quinta-feira (14), do encontro da executiva nacional do Partido dos Trabalhadores, o primeiro com a presença do ex-presidente Lula desde a soltura na última sexta (8). Solla que tem sido uma das principias vozes da oposição no Congresso Nacional, afirmou que as eleições de 2020 devem ser nacionalizadas e que o prefeito de Salvador ACM Neto (DEM) deve ser responsabilizado pela eleição de Bolsonaro.

“Não dá para separar [o Brasil de Salvador], porque, quando você congela o salário mínimo, impacta em diversos setores, em todas as cidades. A política nacional impacta negativamente na cidade do Salvador e vice-versa. A representação política de Bolsonaro aqui é ACM Neto, então, a resistência e o enfrentamento do governo federal é a resistência a ACM Neto”, declarou.

Ainda de acordo com o parlamentar, no próximo ano, uma das forças de oposição ao democrata é o próprio governador Rui Costa, sendo o cabo eleitoral do PT na capital baiana: “Nós temos vários cabos eleitorais, entre eles o governador Rui Costa, que é muito bem avaliado aqui em Salvador, que reconhece o quanto o governo do estado tem investido, em várias áreas, como contenção de encostas, metrô”, disse.

Jorge Solla, segundo matéria do Bnews, também ressaltou que a presença de Lula no primeiro evento após a soltura, representa a força do Partido dos Trabalhadores em Salvador: “O presidente Lula começa hoje uma grande maratona em defesa do povo brasileiro. Domingo já vai estar em Recife, no grande ato. E nós esperamos que, com isso, fortaleça a resistência da população aos absurdos que estão sendo perpetrados pelo atual governo”.

Ao mirar 2020, Solla ressaltou que a população da capital baiana deve responsabilizar ACM Neto pela situação atual do país, “principalmente observando a saída da Petrobras da cidade, a destruição da Previdência Social, a recessão”. Para ele, “tudo isso é responsabilidade de quem coordenou a eleição de Bolsonaro, e aqui foi o prefeito”.

@ Nossa Voz - Fonte: BNews - Bruno Luiz e Yasmin Garrido

Sem comentários:

Enviar um comentário