terça-feira, 9 de janeiro de 2018

Barrocas: Operário vítima de acidente continua no HGE, família afirma que nem a prefeitura nem o motorista prestam apoio necessário

Roque recebeu a visita do senhor Bento, que tornou público o caso
Roque Lourenço Caetano, 52 anos seguia de moto para o trabalho no dia 26 de outubro do ano passado, quando conforme seu relato, foi atingido por um veículo que transporta estudantes no município de Barrocas. O acidente aconteceu, segundo a vítima às 12:50 próximo ao Bairro de Alambique.

Roque foi levado ao Hospital Municipal pelo próprio motorista, pois gritou informando que o conhecia: "Eu gritei, eu lhe conheço, não saia não. Aí ele voltou, me pegou e colocou no carro e foi até o hospital dizendo que era para eu falar que tinha batido no carro parado, mas não foi assim. Ele me atropelou vindo para a contra mão" contou.

Ferido gravemente no pé, Roque foi rapidamente transferido para o Hospital Geral do Estado, onde continua internado, após já ter passado por procedimentos cirúrgicos. 

A família não registrou imediatamente o boletim de ocorrência, pois o Motorista  teria se comprometido em arcar com todas as despesas. Inclusive com os danos causados na motocicleta, que está numa oficina.

Passados dois meses e meio, Roque Caetano segue no hospital, e afirma que nem a empresa para a qual trabalhava, tão pouco a Prefeitura Municipal que é a responsável pela obra de pavimentação do Povoado de Tanque Bonito, estão prestando apoio a sua família que dependia do seu trabalho.

Cleonice, filha do Roque e o senhor Germano irmão.
"Meu irmão tá lá numa situação dessa. Eu acho que aquele Cidadão não tem competência para conduzir um veículo, carregando aluno para a escola. Ele carrega aluno para a escola. Ele saiu da mão dele e pegou meu irmão na contra-mão, eu fui lá no local do acidente e eu vi com meus olhos, ele pegou meu irmão na contra-mão" relatou o senhor Germano.


"Meu pai está se recuperando, mas ele vai passar por mais uma cirurgia, ele já passou por duas cirurgia e ainda falta mais uma. Até hoje só apareceu o prefeito uma vez dando R$150,00 reais e um vale compras, mas não apareceu mais. Meu pai estava prestando serviço para a Prefeitura" lamentou a filha Cleonice.

A filha lembrou que Roque trabalhava para manter a casa: "Eu espero que ele se sensibilize e ajude, porque meu pai estava trabalhando para manter a casa, os filhos dele depende dele".

Diante de falta de amparo por parte de quem seria obrigação, a população barroquense inicia campanha para ajudar a família do senhor Roque Caetano.

Ouça entrevista com o senhor Germano: 


@ Nossa Voz - Da Redação Por Rubenilson Nogueira

Sem comentários:

Enviar um comentário