terça-feira, 27 de janeiro de 2015

Diretor do Hospital Municipal de Barrocas é contra o fechamento das Dires!

Em matéria enviada para a nossa redação, o Diretor do Hospital Municipal de Barrocas, explica os motivos que o leva a ser contra o fechamento da DIRES - Diretorias Regionais de Saúde, nos Territórios de Identidades da Bahia.
        
               A Saúde Pública no Brasil e na Bahia, passou  por grandes mudanças nos últimos anos, embora ainda não suficientes para resolver problemas crônicos que ainda afetam o sistema diretamente e o emperra impedindo de avançar com a capacidade e a necessidade que precisamos.
              Esta última ação do governo da Bahia de fechar as DIRES e criar nove (09) Núcleos de Regionais, em Macros Regiões, em um Estado com a extensão Territorial que temos, é uma atitude impensada e equivocada, uma vez que não foi feito uma consulta publica, nem tão pouco, tiveram a  humildade de ouvir os atores sociais, entre eles: Prefeitos, Secretários Municipais de saúde, Conselhos Municipais e Estadual de Saúde, Dirigentes Regionais e sobretudo lideranças politicas. Uma ação contraria ao Programa de Governo, que nos pegou de surpresa. Acredito na boa intenção do Governador da Bahia em conter despesas e enxugar a máquina, no entanto, esta medida não tem coerência com os dados ora levantados. Embora o nosso Governador, não tenha demonstrado interesse  para dialogar, ouviu, apenas um pequeno grupo de  Técnico burocráticos, despreparados e sem conhecimento de caso  das Secretarias  da Fazenda e de Administração , em uma ação desesperada para reduzir gastos.
              Este ato terá feitos colaterais na Politica de Saúde bem como, na Politica da Bahia e vai atingir diretamente todos os Municípios do interior da Bahia ,municípios com uma distancia Territorial imensa da capital e que eram gerenciados diretamente pelas DIRES, o sistema que é desde a atenção básica á  Assistência Farmacêutica,  epidemológica, de Edemias, de Vacina, de vigilância sanitária e da gestão Hospitalar, vai ficar comprometido. Ha não ser que o Governo, tenha outros planos, ainda não divulgados; Cortar 40 cargos públicos não vai resolver o problema da saúde da Bahia ,(Que é de gestão, sensibilidade e vontade politica), pelo contrario vai gerar um problema de gestão, por distanciar as articulações da gestão de saúde dos Municípios baianos.    
               Da  mesma forma, os municípios irão sofrer com o fechamento das DIRECs, que também me posiciono  contra, acho desnecessária, esta ação do governo, uma vez que ambos os órgãos, não só  serve, para articular as ações do Estado, mas  também para estreitar as relações entre sociedade e   governo. Sem  falar que o valor da economia será ilusório, diante dos benefícios.
              Esperamos que o nosso governador, reveja a politica de saúde  do Estado, interiorizando os serviços de Alta Complexidades, derrube esta  politica atual dos HPPs,  reestruturando estes, para que as médias complexidades tenha resolutividade nos seus próprios municípios. Reitero o meus créditos a  este Governo, acredito que teremos um governo espetacular, sobretudo, na saúde, educação, segurança publica e infraestrutura. Entretanto Esperamos que o governador repense  a sua ação, rediscuta com os atores e assim possamos construir um Estado cada vez mais democrático e participativo de fato e de direito  para todos os baianos.                                               

“Caminhando e cantando e seguindo a canção
Somos todos iguais, braços dados ou não
Nas escolas, nas ruas, campos, construções
Caminhando e cantando e seguindo a canção” 

‘Então, vem, vamos embora que esperar não é saber
Quem sabe faz a hora, não espera acontecer’

... Os amores na mente as flores no chão
A certeza na frente a história na mão
Caminhando e cantando e seguindo a canção
Aprendendo e ensinando uma nova lição”... 

Ivan Lourenço


Robenildo Brito 
Diretor do Hospital Municipal de Barrocas

Sem comentários:

Enviar um comentário