sexta-feira, 9 de janeiro de 2015

Barrocas: Umbuzeiros resistem à seca e garante produção em comunidade barroquense.

Fotos Victor Santos (Jornal A Nossa Voz)
Fruta típica do semi-árido nordestino, o umbu é bastante apreciado pelo sabor adocicado e ao mesmo tempo azedo, o umbuzeiro é um dos símbolos da resistência à seca e 'fulora' mesmo nas longas estiagem, a quem garante que ele nunca deixa de exibir suas folhas verdes.

O umbu pode ser consumido naturalmente ou ter sua polpa utilizada para produção de sorvete, suco, geleias ou a popular e tão apreciada ‘umbuzada’. Comerciantes congelam a sua polpa para poder servir a umbuzada durante todo o ano.


Registramos na comunidade do Lajedinho, Zona Rural de Barrocas um umbuzeiro dando os primeiros frutos, a comunidade que se destaca com a venda de polpa de diversas frutas terá o aumento da produção da polpa do umbu, uma das mais procurada. O projeto formado exclusivamente por mulheres foi objeto de matéria em agosto de 2013 com o título “Associação comunitária dos moradores do Lajedinho se destaca na produção de polpas com frutas típicas da região”. (Veja aqui)

Segundo o site Rural News o umbu é uma ótima fonte de proteínas para as populações das regiões mais carentes do nordeste apresentando, em sua composição (para cada 100g), 0,6g de proteínas, ferro, fósforo e cálcio, além das vitaminas A, B1, B2 e C. Apresenta um valor calórico médio 44 calorias por 100g de frutos. É uma fruta da família das anacardiáceas, à qual pertencem, por exemplo, o caju e a manga.

Mas, segundo matéria do portal Terra (ver aqui) o umbuzeiro esta na lista das arvores frutíferas ameaçadas de extinção, e por isso ações já buscam incentivar a sua produção. Porém agricultores como Celson Coelho garante que os especialistas podem estar errados em apontar a decadência da arvore; “Acho difícil os umbuzeiros serem extintos, são árvores fortes, resistentes, aqui mesmo na nossa região temos muitos, hoje em dia todos tem essa consciência da importância dos umbuzeiros até como fonte de renda com a comercialização dos produtos derivados do umbu, então há uma preocupação maior em preservar os umbuzeiros” destacou o agricultor. 

Exclusiva do semi-árido e do sertão nordestino, na seca, o pé de umbu é como uma caixa d’água. As batatas que ficam na raiz são como caçambas, chegam a acumular até 1,5 mil litros de água.

Tamanha a sua força e importância para o sertão, o escritor brasileiro Euclides da Cunha (1866 - 1909) batizou o umbuzeiro como a "árvore sagrada do Sertão".
@ Nossa Voz - Por Victor Santos / Rubenilson Nogueira

Sem comentários:

Enviar um comentário