segunda-feira, 29 de agosto de 2016

Barrocas: Com presença de manifestantes, Presidente Suspende Sessão da Câmara alegando falta de quórum

Presidente Antonio Carlos (Tonho da Loja)
Na quinta-feira (25) deveria ter acontecido mais uma Sessão da Câmara Municipal de Vereadores de Barrocas, porém, o Presidente Antônio Carlos de Lima Ferreira (Tonho da Loja – DEM) decidiu repentinamente cancelar os trabalhos alegando não haver número suficiente de parlamentares.

Segundo Manisfestantes que estavam em frente à Casa Legislativa para cobrar a aprovação de um aumento na suplementação, mesmo com a presença de 7 dos  9 vereadores o Presidente decidiu cancelar a Sessão que teria a discussão de outros assuntos.


"Nos fomos para a sessão por causa do projeto de suplementação, porém eles ficaram sabendo que iríamos ai retiraram o projeto da pauta. Mesmo assim ficamos lá e quando o presidente percebeu que haveria público, articulou com os paceiros e suspendeu a sessão alegando que não tinha quórum, mas havia sete vereadores lá" comentou uma professora que pediu para não ser identificada.

Ainda segundo os manifestantes, assim que a sessão foi suspensa, o vereadores Miguel Carvalho (Guel) foi embora, os demais seguiram no interior da câmara, com exceção dos vereadores José Eclécio (Kekeu) e Gerinaldo Moreira que permaneceram do lado de fora junto às pessoas. 

Como as pessoas seguiam em frente ao prédio, os vereadores começaram a sair,  ao tempo que os manifestantes pediam explicações a respeito da suspensão. "Todos tinham a mesma conversa que não tinha quórum" lamentou uma dona de casa. 

Como não conseguimos falar com Presidente  Antonio para que ele comentasse a situação, deixamos espaço para que se achar necessário se manifeste. (rubem.nogueira@bol.com.br - 75 99189-6185).
@ Nossa Voz Da Redação -  Com informações de Milena Araújo e Daniele Oliveira

1 comentário:

  1. Foi lamentável ver os vereadores dando risada das pessoas que estavam lá, e pior ainda foi vê-los saindo com um semblante de vitória, de alegria, parecendo crianças que acabaram de vencer uma briga besta, aliás toda briga é besta, independente de idade. Mas nesse caso, não é picuinha de criança, pelo contrário, envolve a educação justamente de crianças na primeira fase escolar. A má vontade dos vereadores que fazem oposição ao prefeito, a birra, a politicagem não leva em consideração a parte mais importante nisso tudo, a manutenção da educação das crianças da creche. O projeto de lei tem outras indicações, porém esse pode ser o ponto de maior impacto, pelas consequências que pode trazer.

    ResponderEliminar