sábado, 23 de junho de 2018

Barrocas: Barroquenses mantém os costumes da festa de São João e aquecem a economia popular

Foto: Rubenilson Nogueira
Famílias barroquenses mentém a tradição de comemorar o São João e com isso aquecem a economia popular. Neste sábado (23), dia da fogueira, comerciantes e ambulantes, dizem que apesar da crise não há do que reclamar, as vendas podem não ter aumentado, mas não houve grande queda.

De acordo com a história, o costume de acender fogueiras tem suas raízes em um acordo que teria sido feito pelas primas Maria e Isabel, mãe de João Batista, para avisar sobre o seu nascimento e assim ter seu auxílio após o parto. Esse costume é mantido principalmente no nordeste do Brasil. Em Barrocas interior da Bahia, que tem São João Batista como Padroeiro não é diferente. E se vai ter fogueira acesa nas residências outros costumes acompanham, não pode faltar o milho assado, o amendoim, o bolo de milho, o licor e os fogos para animar ainda mais a principal festa típica da região.


A professora Adriana Queiroz foi na tarde de hoje ao centro da cidade, comprar milho e amendoim, ela disse que este é o melhor período do ano: "uma época maravilhosa, jamais deve ser esquecida a tradição, tenho recordações das fogueiras desde a época do meu pai, e continuo acendendo a fogueira com a minha família, já são 25 anos" revelou.

A senhora Marizete Oliveira, disse que tem mais de 20 anos comercializando amendoim no mesmo ponto, e por isso já tem seus clientes: "Desde moça que vendo aqui, sou velha nesse ponto, já tenho freguesia", sobre o movimento deste ano ela afirmou: "não tenho do que reclamar, para mim graças a Deus tá bom" o litro de amendoim tá saindo por 4 reais, mas a vendedora lembra: "É produto de qualidade".


O vendedor do milho o senhor João Ferreira , conhecido João do Jeep, disse que a tradição é mentida apesar de altos e baixos: "mesmo  reduzindo pouca coisa a tradição continua, as pessoas compram o milho para assar na fogueira e comemorar São João" afirmou. Segundo ele são 7 espigas por 5 reais, e tem pechincha: "tem uns que chora, faz a pechincha, pede uma de agrado, mas é normal" reconheceu.


Outro item que tem destaque nos festejos juninos é o licor caseiro, os vendedores inovam a cada ano com sabores novos que caem no gosto dos adeptos da bebida de época: "Além dos comuns, são seis sabores cremosos, mas este ano a novidade foi o de cappuccino, vendeu todos que fiz" contou a vendedora Maria Geisa, que começou fazendo licor para o consumo da família no dia da fogueira, mas as pessoas gostaram tanto que ela logo começou a comercializar.


Restando algumas horas para o momento da fogueira, o movimento nas barracas de fogos começa a crescer, mas ainda é um pouco menor que nos anos anteriores: "As pessoas continuam comprando, é um costume antigo, vendemos fogos há décadas e prezamos pela qualidade e variedade, mas em tempos de crise o preço também tem que ser um diferencial, nós também temos ótimo preço" afirmou Danilo Nogueira.

Sobre as comemorações em família, Ana Clecia Queiroz,  Profissional de Educação Física destacou: "Na nossa família o São João acontece, valorizando a tradição. Cada momento é um registro único, que fortalece o encontro e reencontro com amigos, sem faltar fogueira, licor, comidas típicas, cavalgada e forró. Tudo regado com muito amor e alegria. Sem dúvida o melhor período do ano".
@ Nossa Voz - Por Rubenilson Nogueira

Sem comentários:

Enviar um comentário