segunda-feira, 27 de janeiro de 2020

População barroquense e de outras cidades do Território voltam a se preocupar com explosões e tremores

Imagem Reprodução Google
Devido à existência de uma mina em operação no subsolo do município de Barrocas, no interior da Bahia, a ocorrência de explosões é algo comum. A população, especialmente das localidades mais próximas da Fazenda Brasileiro, se acostumaram com esses barulhos, porém, no da 17 de julho de 2019, algo de estranho aconteceu pela primeira vez.

Na madrugada daquela quarta-feira, uma explosão anormal, seguida de tremores deixou as pessoas assutadas (ver aqui), era algo nunca observado desde que a mina começou a ser explorada no município na década de 80.

A notícia repercutiu em todo estado, e a Mineração se manifestou em nota (ver aqui). Na ocasião, dentre outros esclarecimentos, a empresa afirmou que não são feitas detonações durante a madrugada. Neste final de semana a situação se repetiu, e desta vez em maior intensidade, tendo sido percebido não apenas em Barrocas, mas também em outros municípios do Território como em Salgadália, distrito de Conceição do Coité, em Retirolândia e Ichu: "Aqui na Lagoa da Cruz ontem (sábado 9 horas) e hoje (domingo 07h40m) aconteceram estrondos bem fortes que não conseguimos identificar. É tão forte que as paredes vibram, é como se fossem explosivos sendo estourados, mas a questão é, de onde? Seria a mineração? O barulho é muito forte, mas ninguém consegue identificar de onde vem", relatou o professor e estudante de Direito Gilmar Mota, morador da Zona Rural de Barrocas.

Em contato com o Radialista José Ferraz,  um senhor morador do Povoado de Brasileiro que fica próximo à mina, confirmou as explosões e disse que viu a poeira subindo na área operada pela empresa: "...essa explosão existiu mesmo aqui, sábado e domingo, aqui na área da mineração. Eu moro perto aqui, vizinho a mineração. Foi uma explosão muito forte mesmo, que chegou a abalar aqui até as casas da gente. E foi realmente na Mineração, daqui a gente viu até o poeirão cobriu tudo lá.  Agora a gente não sabe se foi explosão para tirar o ouro, ou se foi alguma coisa que não tava previsto para acontecer. Só que ninguém fala e ninguém comentou o que aconteceu, mas a gente acha que foi explosão para tirar o minério, mas foi muito forte, inclusive a gente tá até reclamando porque eles estão detonando muito forte mesmo aqui", relatou o homem, que disse ainda ter um filho que trabalha na mina, mas que este não comentou nada sobre o tremor.

No ano passado, na nota enviada ao JNV a empresa informou que possuía um sismógrafo, equipamento que realiza as medições das interferências ambientais apontando índices de vibração do terreno. Porém, não informou se o equipamento havia capitado alguma anormalidade. O JNV solicitou as informações do equipamento (relatório), mas até o momento elas não foram repassadas.

As dúvidas continuam, e agora preocupam também moradores de outras regiões: "Tu é doido a terra balançou (sic), eu tô com o caminhão parado aqui botando água (sic) chega balançou o caminhão todinho, os vidros balançando, tomei um susto danado. Nunca vi falar em tremer terra aqui em Retiro", relatou em áudio um homem que não foi identificado.

"Aqui em Ichu também teve. Moro num 1º andar e as portas todas estremeceram" relatou uma pessoa que reside em Ichu. Localizado a cerca de 45 Km de Barrocas.

Na manhã desta segunda-feira (27), o JNV voltou a manter contato com a Assessoria de Comunicação de FBDM, que confirmou o recebimentos de áudios de pessoas relatando o ocorrido. A Direção está em reunião e deverá se manifestar em breve: "A empresa recebeu alguns áudios com esses relatos, e já está verificando", informou.


Mais informações e relatos sobre os tremores ainda hoje no Programa A Nossa Voz com Rubenilson nogueira, ao meio-dia, na Rádio Nossa Voz.
@ Nossa Voz - Por Rubenilson Nogueira

1 comentário: