segunda-feira, 30 de abril de 2018

O impacto do medo no pequeno município de Barrocas

Reprodução
Não vou entrar no mérito da questão, buscar culpados, possíveis motivos. Diante do ocorrido cabe à justiça investigar, esclarecer e se necessário, punir. Quero profundamente lamentar, me solidarizar com a família e colocar-me à disposição para o que for preciso. 

Na sexta-feira dia 27 de abril, às 11h49min fui questionado por um cidadão barroquense, através do aplicativo WhatsApp se iria apresentar o programa na rádio naquele dia. Informei-lhe que sim e minutos depois recebi um áudio, no qual ele lamentava a morte de um bebê no ventre da mãe, que seria da sua família. 

As revelações feitas pelo rapaz, caíram como uma bomba no município de pouco mais de 16 mil habitantes, nas redes sociais o assunto começou a repercutir, as pessoas lamentavam o ocorrido e pediam justiça. 

Pois bem, escrevo não para trazer detalhes do caso, no momento ainda não tenho informações. Escrevo para lamentar acontecimentos que ocorreram em paralelo ao fato triste, lamentável. 

Em algumas horas após a repercussão do áudio do rapaz denunciando supostas irregularidades, referente a mais um episódio que no mínimo precisa ser investigado, surge novo áudio. Também através do WhatsApp, no qual o mesmo cidadão, desta vez pede desculpas ao Diretor do Hospital, prefeito, enfermeira e diz que estava equivocado, que voltou à unidade e teve acesso a informações. 

Desde então, entraram em ação aqueles que atuam em torno do poder, blindando os que ocupam cargos públicos e começam espalhar de forma descontrolada o novo áudio. Essa segunda fala, repercute ainda mais e levanta suspeita. O que teria levado o rapaz a fazer um pedido de desculpas? Mas surge fato novo, em meio a discussões em redes sociais outra pessoa da família intervém, confirmando que houve sim irregularidades. Diz que tem até gravações e lamenta a postura de agentes públicos que tentavam amenizar o caso. 

Na manhã deste domingo (29), nova bomba, o rapaz que fez a denúncia grava novo áudio e agora diz que foi procurado ‘por eles’, não diz por quem, mas afirma que recebeu ameaças de ser preso, e por ser pai de dois filhos, teve a atitude de pedir desculpas. 

Sem mais delongas, resta-me questionar: No que estão querendo transformar a nossa cidade? Porque ao invés de intimidar as pessoas as autoridades municipais não esclarecem o caso, não abrem uma sindicância para de fato saber o que aconteceu? A família no mínimo merece uma resposta. 

Agora, enquanto uma família chora, a autoridade da pasta fala em politicagem. As especulações só ganharam força diante da falta de um posicionamento oficial por parte de uma gestão que faz tanta propaganda, mas quando é preciso se posicionar, cala-se. Porque não usar tantos meios, tantos profissionais para dar a resposta que a sociedade espera? 

Infelizmente, o caso é irreversível, mas se algo for feito, poderemos evitar que outros aconteçam, que mais barroquenses sofram, chorem e enterrem prematuramente seus filhos. 

Não à impunidade, não à censura, não a DITADURA. 

Por Rubenilson Nogueira Da Redação

Sem comentários:

Enviar um comentário