domingo, 1 de novembro de 2020

Com novos feirantes comercializando, Feira Livre de Barrocas retoma movimento ofertando variedade em alimentos e produtos

Fotos: Victor Santos
Impactada em decorrência da pandemia do novo coronavírus, aos poucos a feira livre do pequeno município de Barrocas, no Território do Sisal da Bahia, retoma o movimento e a quantidade de barracas vem crescendo, surgindo até mesmo novos feirantes ofertando novidades aos barroquenses. As barracas espalhadas na área coberta do centro de abastecimento, além dos boxes na parte interna, começam a serem montadas e organizadas na sexta-feira quando parte da população da sede vão às compras. No sábado a partir das 4h30 horas da manhã, já estão prontas para receber os clientes, especialmente os que vem da zona rural. 

Feira Livre tem diversidade em produtos
Nas diversas barracas, são comercializados desde artigos de couro, sandálias, eletrônicos importados, relógios, bijuterias e até a lambreta, um fruto do mar muito popular na Bahia que também pode ser encontrado atualmente na feira livre. O vendedor Edvaldo, estaciona o carro em frente ao Mercado Municipal, com seu ponto montado no próprio veículo. Neste sábado ele completou a terceira visita a cidade.

Vendedor Edvaldo comercializa frutos do mar, uma novidade na feira livre da cidade
O vendedor chegou às 7h, mas diz ter se arrependido, pois chegou um pouco tarde já que a feira inicia por volta das 4h30. Mesmo com o tempo curto, estava animado. Segundo ele os alimentos mais procurados entre os barroquenses são a pititinga, o camarão, atum e a tilápia. 

O barroquense Marcos Pereira, é pedreiro de profissão, mas durante a pandemia em que as contratações para construção civil perdeu força, ele aproveitou o conhecimento para montar a barracas que fica instalada na parte externa do centro de abastecimento. Para Marcos que mora no povoado da Barreira, o movimento está abaixo do esperado, um dos motivos para explicar a queda nas vedas é que já na quarta-feira chegam os caminhões com as frutas e verduras, uma opção para quem antecipa as compras.

Marcos chega sempre cedo na feira para manter a clientela
"Antigamente as feiras do sábado iam até anoitecer, era das 4h30 até escurecer o dia, mas como agora as pessoas anteciparam as compras, quando chega no sábado o movimento está bem abaixo", contou Marcos que chegou as 5h30 e tinha previsão de permanecer até o meio-dia. 

A grande maioria das pessoas que frequentam a feira-livre continuam se protegendo com máscara, já os profissionais da vigilância sanitária seguem circulando, orientando e fiscalizando o cumprimento do decreto municipal que trata da prevenção ao coronavírus.

Da Redação - Por Victor Santos - Colaborou Rubenilson Nogueira

Sem comentários:

Publicar um comentário