quinta-feira, 25 de julho de 2019

Barrocas: No dia dos motoristas, Zé de Sardinha volta a falar ao JNV sobre a profissão

Zé de Sardinha - Um dos motoristas mais antigos da praça - Foto: Victor Santos
Responsáveis por levar e trazer pessoas em veículos de passageiros, ou por percorrerem as rodovias do Brasil com as mais diversas cargas, os motoristas, profissão de grande responsabilidade e importância para o progresso do país, tem em 25 de julho o seu dia. Na mesma data comemora-se o Dia de São Cristóvão, o santo protetor dos motoristas.

O José Carlos Ferreira de Queiroz, ou Zé Sardinha como é conhecido na praça, com 55 anos de idade e 32 de profissão, é um dos mais antigos no posto em Barrocas. Reconhecido onde chega, o barroquense tem certeza que já fez mais de 10.000 mil viagens, desde a época que não havia a malha asfáltica da BA411. 



Entrevistado para edição do Jornal Impresso em 2007, agora mais de 12 anos após a matéria, o motorista experiente segue na profissão, cumprindo com a palavra dita no final do quadro 'Conversa Vai, Conversa Vem' "tenho 43 anos e depende de Deus até quando ele quiser", respondeu quando questionado até quando iria trabalhar dirigindo. 

Após passar 12 anos com o Chevrolet Veraneio, decidiu mudar para um Volkswagen Santana, veículo de boa mecânica e econômico segundo ele. Sobre as opiniões da entrevista para o jornal impresso, o motorista ainda continua defendendo os colegas pracistas, inclusive o seu trabalho: "Quando se trabalha com respeito e honestidade as pessoas procuram, algumas coisa mudaram, a estrada melhorou" lembrou, apesar da atual situação da via. 



A entrevista foi publicada na edição de n° 20 ano - 2007, que circulou entre o mês de abril e maio daquele ano. Nesta quinta-feira (25), mais uma vez questionado sobre quando vai parar de trabalhar como motorista, José Carlos respondeu: "Só quando Deus me levar, aqui é meu trabalho, meu modo de ganhar a vida" afirmou sorridente. 

@ Nossa Voz - Por Victor Santos

Sem comentários:

Enviar um comentário