segunda-feira, 23 de março de 2015

Barrocas: Famílias ocupam residências ainda em construção do Projeto Minha Casa Minha Vida 2

As casas com tijolos nas portas e janelas estão ocupadas
São seis casas ocupadas por famílias que afirmam não ter condição de pagar aluguel, a ocupação aconteceu a cerca de uma semana atrás. As casas ainda em construção não tem rede de energia, esgoto e água encanada. As construções segundo informações estão previstas para serem concluídas em junho deste ano, mas enquanto isso mulheres e crianças que ocupam as residências inacabadas vivem em condições precárias.

Segundo as informações nenhuma das famílias são beneficiárias das futuras residências.

Janete vive com 5 filhos e dorme no mesmo local que eles
A dona de casa Janete Chagas de Oliveira, 35 anos, mãe de cinco crianças, conta que o grupo ocupou as casas por não ter condições de pagar aluguel; “Eu não tenho um teto para colocar meus filhos”. A matriarca revelou que para conseguir a alimentação das crianças é 'um sufoco'; “se tomamos café da manhã não almoçamos, se almoçamos não jantamos”. Contou. 

O local para dormi é totalmente improvisado as casa nem portas tem, por isso à noite faz muito frio
Maria de Jesus, 35 anos, também também ocupou uma das casas, mãe de quatro crianças lamenta ter sido quase despejada de onde morava de aluguel; “tenho quatro meses de aluguel atrasado, trouxe meus filhos aqui para não ficar na rua com eles”. Outra dificuldade segundo Maria é a alimentação diária; “Passamos mais dias sem comer do que comendo, não temos nada para esquentar comida e bebemos água de tanque”, relatou. 


Local onde uma das famílias prepara a alimentação; em destaque
a água que uma das crianças bebia no momento da reportagem.
Todos as famílias vivem em situação muito difícil, sem água nas casas as mães e crianças se aventuram bebendo água de tanque de terra. A noite é improvisado um candeeiro para iluminar as casas que ainda não contam com energia elétrica. Muitas famílias se ajudam entre si durante o dia e temem uma intervenção para retirada; "não temos para onde ir".

Um jovem casal vive com bebê com apenas 24 dias de vida
Em uma das casas vive o casal de jovens, Jamile, 18 anos, e o ajudante geral, ainda menor,  pais de uma crianças recém nascida com 24 dias de vida. No quarto do casal apenas um lençol e uma espuma forrada servem para tentar dar conforto ao neném. Segundo o pai esta foi a única solução; “O único lugar que temos é esse pra ficar”. 

Procuramos a Secretaria de Ação Social Elielma Chagas que lamentou o caso e principalmente a situação precárias em que as famílias estão vivendo,  segundo ela a obra ainda não foi entregue ao município, sendo assim é de responsabilidade da empresa que à executa. Elielma disse que o dono da Empresa já foi informado e deve vim ao município, a Secretária confirmou que as famílias não fazem parte do cadastro, e que logo estará avaliando a situação.

Diante do caso, famílias que serão contempladas vivem a preocupação de perder o futuro lar para os atuais ocupantes; "Acabo de saber que invadiram as casinhas, e agora como fica as pessoas que foram contempladas inclusive eu, mas já temia que ia acabar dando nisso tanta demora pra entregar claro que iriam acabar invadindo" escreveu uma beneficiária que vive de aluguel enquanto espero pala casa.

@ Nossa Voz - Por Victor Santos

Sem comentários:

Enviar um comentário