quarta-feira, 25 de março de 2015

Suspeito de praticar furtos foi preso pela Polícia Civil de Barrocas e confessou que roubava para comprar droga

Suspeito vinha praticando furtos a cerca de dois meses na cidade
Ademilson de Jesus Santos, 30 anos, vulgo ‘Tê’ foi preso pela Policia Civil na manhã desta quarta-feira (25) após queixas de furto serem registradas e as investigações o apontarem como principal suspeito.

Na Delegacia, ‘Tê’ confessou a policia ser autor de vários furtos e ainda ser usuário de droga, ele reafirmou tudo para o repórter do JANV.

De acordo com o agente de Policia Civil Ricardilson, que atuou na captura do suspeito, ele foi encontrado deitado em sua residência e não reagiu a prisão. À polícia Ademilson relatou ainda que vem praticando os diversos furtos há cerca de dois meses, os objetos subtraídos são vendidos, certamente bem abaixo do preço real; “furtei furadeira, celular, carro de mão, cimento, bomba d’água”, porém o suspeito se diz arrependido pelos atos; “nessa vida eu não quero mais não, coisa de doido, quando eu sair daqui vou mudar, trabalhar e dar a volta por cima” afirmou. 


Na delegacia além de vitimas de furto, compareceram pessoas que compraram objetos na mão do suspeito e disseram que foram enganadas por ele; “Ele me ofereceu uma bomba d’água, disse que a mãe que lhe deu, comprei confiando, até perguntei se tinha sido furtada, mas ele me garantiu que não” disse um senhor. 

Vale destacar que quem compra produtos objeto de furto ou roubo pode ser indiciado por receptação.

Até o momento foram recuperados pela Policia Civil, uma bomba d’agua e um carro de mão, mas segundo os agentes Manteiga e Walter, demais objetos furtados serão recuperados em breve, logo após os donos devem aparecer para reconhecer e ter de volta seus pertences. 

Ademilson confessou ser usuário de maconha a dois anos e disse que roubava as vezes para sustentar o vício pela droga, vicio este resultado de 'más companhias'. 

A Delegacia de Policia Civil lamenta os casos de furtos e roubo em que as vítimas não procuram a DP para registrar o Boletim de Ocorrência, dificultando investigações. Quando os objetos são recuperados a Polícia tem dificuldades tanto para identificar como para saber a quem realmente pertencem.


Ronda @ Nossa Voz - Por Victor Santos

Sem comentários:

Enviar um comentário