domingo, 1 de março de 2015

Barrocas: Conselho Municipal de Saúde pede que Quiosque seja demolido para que Posto de Saúde de Minação seja ampliado.

O Ministério da Saúde liberou o recurso no dia 30 de Agosto de 2013
O município de Barrocas conseguiu junto ao Ministério da Saúde, Departamento de Atenção Básica, recursos suficiente para Ampliação de cinco postos de saúde localizados em povoados. Somados os valores passam de Meio Milhão de Reais (500 mil).

Até aí tudo bem, o problema é que até o dia 19 de Fevereiro de 2015, segundo ofício 007-2015 enviado à Câmara de Vereadores pelo Conselho Municipal de Saúde, através do Presidente Jaques Queiroz Pereira, apenas as ampliações dos Postos de Saúde de Barreiras, Curralinho e Ladeira foram iniciadas. Em Nova Brasília e Minação nada foi feito, podendo os recursos serem devolvidos.

Clique para ampliar
Em relação à Nova Brasília, os motivos da ampliação não ter sido iniciada não foram revelados no documento, mas no caso de Minação, o Conselho pede providência para que um Quiosque seja demolido.

O quiosque de acordo com o documento foi cedido a um filho do vereador da Minação, e “este vereador não aceita a demolição” necessária para que os trabalhos iniciem.

João Luiz Damião
Apesar do oficio não mencionar o nome do parlamentar, entende-se que se trata do vereador João Luiz Damião, o popular Dudinha (DEM) único vereador residente no Povoado.

As ampliações que foram iniciadas são também alvos de críticas, pouco foi feito na estrutura dos postos, por isso em alguns pronunciamentos na Câmara, o vereador Dudinha chegou a criticar a situação, já que no caso de Minação alaga-se que o trabalho não começou devido ao quiosque e por isso vai devolver o recurso, porém nos demais nada ou quase nada foi realizado, contudo o vereador defendeu a permanecia do quiosque; ...Minação hoje tem mais ou menos pra não ‘bolir’ no quiosque tem uns 4m que dá pra construir... (trecho da fala do Vereador na Sessão do dia 11/09/14)

Um erro não deve justifica um outro, caso esta situação na se resolva e o município perca o recuso, ficará comprovado que os interesses particulares estão à frente dos interesses coletivos, com a devolução do recurso o município poderá ficar impedido de realizar novos convênios.

Leia também; Barrocas: Saiba como foi a última Sessão da Câmara de Vereadores da quinta-feira dia 11/09/15

@ Nossa Voz

Sem comentários:

Enviar um comentário