sábado, 4 de junho de 2016

Barrocas: Comerciantes dizem que queda no movimento da Feira Livre esta relacionada ao crescimento do comércio nos Povoados

O número de ambulantes que comercializam na feira livre ainda é grande
Na quarta-feira (01) a Rádio Nossa Voz iniciou uma série de entrevistas com comerciantes barroquenses dos diversos ramos, os temas principais foram;  A Feira Livre e Os efeitos da crise!

Em relação à crise as opiniões estão divididas, alguns acham que ela não afeta diretamente no movimento dos comércios, mas alguns dizem que até a inadimplência aumentou em virtude do atual momento que o país passa. 

O desemprego é o principal motivo apontado por aqueles que perceberam queda nas vendas nos últimos meses. 

Além de alimentos, na área do Centro de Abastecimento, é possível comprar confecções e utensílios
Sobre o movimento nos dias de sábado, quando acontece a Feira Livre do município, comerciantes localizados no centro dizem que realmente houve uma pequena queda no número de pessoas circulando, principalmente em relação aos clientes da zona rural, neste caso o motivo principal seria o crescimento do comércio nos povoados, a maioria deles conta hoje com mercadinhos, lojas de confecção, casa de material de construção, casas de peças dentre outros ramos, levando muitas famílias a comprarem na própria comunidade, mas também o surgimento de novos estabelecimentos comerciais (concorrência) foi apontado como um dos fatores, tendo impacto significativo de acordo com as avaliações.


Segundo os comerciantes entrevistados, o número de 'carros de linha' rodando dos povoados para a sede diminuiu, e quem vem não mais realiza as compras que costumavam fazer anos atrás.  Já na sede cada bairro hoje tem um mercado além de outros pontos comerciais.

Um fator importante apontado como causador da redução do movimento do sábado, foi o surgimento da sexta-feira como opção para as famílias da sede realizarem suas compras no centro de abastecimento. Por isso a tradicional feira do sábado está acabando mais sede. Por esse motivo, como atualmente a feira começa na sexta, praticamente se encerra ao meio dia do sábado, conforme os relatos obtidos.


Participaram do quadro na primeira semana, os comerciantes, Deny Alves - Barrocas Mercadinho, José Celsino - Auto Peças Irmãos Ferreira, Erienio Queiroz - ARQ Materiais de Construção, Igor Queiroz - Farmácia Popular, Magnata - Barbearia do Magnata. 

As entrevistas continuam, acompanhe na Rádio Nossa Voz, Programa A Minha A Nossa Voz.

@ Nossa Voz Por Rubenilson Nogueira
Fotos: Milena Araújo

Sem comentários:

Enviar um comentário