quarta-feira, 29 de junho de 2016

Barrocas: Ex-secretário foi cobrado no ar enquanto participava de programa de rádio

Foto Reprodução O Dia News
Enquanto participava do Programa do Radialista José Ferraz na Rádio Regional, o ex-secretário de saúde Gerival Moreira foi surpreendido com a ligação de um ouvinte que no ar cobrou suposto salário atrasado.

O petista Gerival Moreira, falava sobre áudios polêmicos que foram disseminados no whatsapp, nos quais ele foi criticado enquanto esteve à frente da Secretaria de Saúde. O político que já foi candidato a prefeito e a vereador mais não conseguiu se eleger, dizia justamente que não saiu da secretaria devendo a servidores, mas reconheceu que saiu devendo a fornecedores cerca de 300 mil reais, porém segundo ele afirmou, deixou nas contas da secretaria cerca de 400 mil.

Em dado momento da entrevista um homem que se identificou como Silvano da Lagoa da Cruz ligou para a rádio e no ar alegou que a secretaria de saúde ficou lhe devendo; "Ferraz meu amigo fale a Gerival que quem tá falando é Silvano da Lagoa da Cruz, que rodou 5 meses no volare rodando pra saúde em Feira e ele mim pagou 4 meses, ficou me devendo um mês e ficou me devendo dois meses de vale alimentação, pergunte a ele se ele tá esquecido, eu não esqueci não, eu abandonei porque não quentei ficar sem receber".

Questionado pelo radialista Gerival se justificou primeiro dizendo que se tratava de um serviço anterior ao seu mandato, "Silvano quando você trabalhava, quando eu entrei você já estava saindo...", depois disse que não era responsável por pagamento por fora; "...não era vinculado a secretaria de saúde, ele não tinha contrato, então esse pagamento que as vezes se paga voluntário, paga por fora, eu não fazia parte desse conjunto de pagamento... como não tinha contrato seu lá, eu não posso dizer que eu lhe devia, eu não, que a secretaria lhe devia" explicou.  
Sobre sua exoneração da secretaria e afastamento do governo do Prefeito José Almir, o Petista disse que aconteceu por uma briga política, e disparou; "a gente estava sendo perseguido inclusive por pessoas do nosso grupo, algumas pessoas, uma meia dúzia de baderneiros que conseguiu desestruturar o mandato do prefeito em algum momento e nisso a gente teve que tomar nossa decisão, unimos o partido e tomamos a decisão de votar na chapa da oposição para presidente da câmara", o ex-secretário disse que ao apoiarem a eleição do Democrata Antonio da Loja, era natural a exoneração; "a gente nada mais justo do que na época ter sido demitido".


@ Nossa Voz - Por Rubenilson Nogueira

Sem comentários:

Enviar um comentário