quarta-feira, 1 de junho de 2016

Barrocas: Em nova entrevista, Delegado confirma indiciamento do ex prefeito José Edilson

Imagem Reprodução TV Record
O delegado e coordenador da 15ª Coordenadoria Regional de Polícia do Interior (Coorpin/Serrinha) Mozart Cavalcante, informou numa entrevista para à Rádio Sociedade da Bahia na quinta-feira dia 26 de maio que o inquérito policial sobre o assassinato do suplente de vereador da cidade de Barrocas (BA), Reginaldo Oliveira da Silva, foi concluído.

No ocasião, a fala do Delegado afirmando que o inquérito da Polícia Civil havia sido concluído e ainda que indiciava como suspeito o ex prefeito José Edilson pelo crime, soou como uma bomba na pacata cidade do interior, já que além de ser aliado político, o conhecido Rege de Carranquinha era amigo de Edilson.

Delegado e Coordenador da 15ª Coorpin - Mozart Cavalcante
Em novo pronunciamento, desta vez para a TV Record, Mozart voltou a falar sobre o inquérito, que segundo ele foi concluído e encaminhado para o Ministério Público; "Polícia Civil, cumpriu seu trabalho de polícia judiciária, indiciando a pessoa de Edilson, ex-prefeito do município de Barrocas pelo crime de homicídio, o inquérito já foi encaminhado a justiça desde o dia 7 de agosto de 2015 e esta a disposição da Polícia Judiciária e do Ministério Público".

Enquanto isso, familiares de Reginaldo clamam por justiça; "Que é pra gente olhar pra ele, só olhar pra ele, e dizer pronto você tá de parabéns, você tirou uma vida, então agora você vai pagar pelo que você fez. Ninguém esperava um crime desse, ele era uma pessoa de bem, uma pessoa que vivia com tudo mundo, ajudava todo mundo. Eu sei que foi política, entendeu, foi política" afirmou a irmão da vítima senhora Neuza Avelina.

Imagem Reprodução TV Record
Após a entrevista do delegado para à rádio, o advogado do ex-prefeito, Carlos Alberto Silva, em entrevista concedida para a Rádio Regional, disse que o inquérito policial era pobre de provas; “A população de Barrocas sabe da verdade e a verdade suplantará a mentira. Nós queremos os esclarecimentos. Agente não pode acreditar que um inquérito tão simplório, sem provas, e que somente porque isso ocorreu dentro da casa do Edilson, possa está acusando. A promotora já havia dito que está analisando, está tentando buscar outras provas, que talvez trabalhe com a inteligência do próprio Ministério Público para chegar a conclusão dos verdadeiros mandantes da morte de Reginaldo” afirmou.

REPORTAGEM TV RECORD

@ Nossa Voz Da Redação / Com informações do R7 e Portal Clériston Silva

Sem comentários:

Enviar um comentário