terça-feira, 2 de março de 2021

Dezenove governadores assinam nota lamentando postura do Presidente da República: "Má informação" e "promoção de conflito".

Foto: Reprodução/ O Globo

No final de semana, o Presidente Jair Messias Bolsonaro fez uma postagem nas suas redes sociais, na qual detalhou valores que teriam sido repassados aos estados em 2020. Diante do que foi exposto, nesta manhã desta segunda-feira (01), dezenove governadores em Nota reagiram à publicação rebatendo o atual presidente.

Na nota, os governadores afirmaram que em meio a uma pandemia o Presidente faz uso de 'má informação' e 'promoção de conflito': "Em meio a uma pandemia de proporção talvez inédita na história, agravada por uma contundente crise econômica e social, o Governo Federal parece priorizar a criação de confrontos, a construção de imagens maniqueístas e o enfraquecimento da cooperação federativa essencial aos interesses da população", lamentaram os governadores.

Ao deixarem claro que os valores apresentados pelo presidente Jair Bolsonaro são repasses obrigatórios e que são previstos na Constituição Federal, arrecadados por meio de impostos pagos pela população. Os governadores também afirmaram que foram incluídos na postagem do Presidente valores utilizados para pagamento do auxílio emergencial: "Adotando o padrão de comportamento do Presidente da República, caberia aos Estados esclarecer à população que o total dos impostos federais pagos pelos cidadãos e pelas empresas de todos Estados, em 2020, somou R$ 1,479 trilhão. Se os valores totais, conforme postado hoje, somam R$ 837,4 bilhões, pergunta-se: onde foram parar os outros R$ 642 bilhões que cidadãos de cada cidade e cada Estado brasileiro pagaram à União em 2020?", informaram.

Os chefes de estado, concluíram a nota afirmando a necessidade de adotar medidas mais duras para frear o avanço do Coronavírus: "A contenção de aglomerações – preservando ao máximo a atividade econômica, o respeito à ciência e a agilidade na vacinação – constituem o cardápio que deveria estar sendo praticado de forma coordenada pela União na medida em que promove a proteção à vida, o primeiro direito universal de cada ser humano", concluíram.

Confira abaixo a relação dos governadores que assinaram a nota:

Renan Filho - Governador do Estado do Alagoas Waldez Góes - Governador do Estado do Amapá Camilo Santana - Governador do Estado do Ceará Renato Casagrande - Governador do Estado do Espírito Santo Ronaldo Caiado - Governador do Estado de Goiás Flávio Dino - Governador do Estado do Maranhão Helder Barbalho - Governador do Estado do Pará João Azevêdo - Governador do Estado da Paraíba Ratinho Júnior - Governador do Estado do Paraná Paulo Câmara - Governador do Estado de Pernambuco Wellington Dias - Governador do Estado do Piauí Cláudio Castro - Governador em exercício do Estado do Rio de Janeiro Fátima Bezerra - Governadora do Estado do Rio Grande do Norte Eduardo Leite - Governador do Estado do Rio Grande do Sul João Doria - Governador do Estado de São Paulo Belivaldo Chagas - Governador do Estado de Sergipe Rui Costa - Governador da Bahia Mauro Mendes - Governador de Mato Grosso Mauro Carlesse - governador do Tocantins.

Da Redação por Ana Clara/ Com Informações: CNN Brasil

Sem comentários:

Enviar um comentário