quarta-feira, 5 de julho de 2017

Barrocas e as eleições de 2018


No Brasil, termina uma eleição e já começam as articulações para a próxima, dizem os articuladores que uma depende da outra, assim sendo, em nossa pequena cidade, localizada no interior da Bahia, Território do Sisal, as figuras das duas correntes políticas existentes, e alguns sonhadores, já começam a se movimentar para conseguir se manterem vivos no 'tabuleiro' eleitoral.

Soube esses dias, que o prefeito José Jailson (PMDB) tem grandes possibilidades de conseguir unidade no grupo em 2018, com a máquina pública na mão e ainda mais poder, o jovem político tenta que vereadores e lideranças do grupo, votem nos mesmos nomes, assim mostrará que a base que lhe deu a vitória na última eleição se mentém unida. Há ainda a possibilidade de puxar alguns nomes que ficaram contra ele em 2016.

Por outro lado, a oposição deve se dividir, e em diversas 'fatias', segundo uma fonte o ex-prefeito José Almir trabalha para evitar a fragmentação do  grupo que lhe deu duas vitórias, mas que perdeu a última eleição com seu apoio. Ainda de acordo com informações obtidas por esse curioso comunicador, o grupo nem candidato definido para deputado tem, a atuação do presidente da Câmara José Eclécio como líder não vem agradando o grupo. Enquanto analisam 'propostas', alguns aliados dão sinal de que podem mudar de lado, ou no linguajar mais apropriado para o ambiante, podem pular para o outro grupo. Zé Inácio e Júlio estariam 'balançados'.

Mas por outro lado, o grupo do prefeito também tem suas questões a serem resolvidas, Jai de Barrocas é do PMDB, partido do atual mandatário Michael Temer, que a cada dia fica mais evidente que chegou a presidência por meio de um Golpe, e com suas reformas predatórias, além de novos casos de corrupção a cada dia, tem recorde de rejeição. Para piorar, na Bahia o PMDB tem ninguém menos que Geddel Vieira, preso essa semana pela Polícia Federal, como principal cacique. Para governador, se Neto for mesmo o candidato, será o escolhido do gestor, mas quem o prefeito vai apoiar para presidente?

Já a atual oposição, sem dúvidas seguirá com o Governador Rui Costa (PT) que tentará reeleição. O petista conta com aprovação da maioria dos baianos, mas pesquisas eleitorais o colocam abaixo do prefeito da capital, porém essas mesmas pesquisas davam como certa a derrota de Rui e vitória do Paulo Souto em 2014. Para presidente, se Lula não for preso pelo Moro, será candidato e segundo as pesquisas, se elege em primeiro turno, o ex-presidente terá sem dúvidas, o apoio da oposição.

Mas, e as estrelas do PT de Barrocas? Depois de terem apoiado Antonio da Loja do DEM para presidente da Câmara, prever com quem eles estarão, só com uma boa bola de cristal e com selo do INMETRO.


@ Nossa Voz - Por Rubenilson Nogueira

Sem comentários:

Enviar um comentário