sábado, 17 de fevereiro de 2018

Insegurança: Professora foi assaltada por ladrões na zona Rural de Barrocas

Imagem Ilustrativa - Reprodução
Em mais um dos várias atos criminosos que vem acontecendo com frequência no município de Barrocas, na tarde deste sábado (17), ladrões obrigaram uma professora, que seguia de moto com sua filha, na estrada de acesso para o Povoado de Lagoa da Cruz, a parar a motocicleta. Segundo informações, sob ameaça eles subtraíram celular, documentos e dinheiro das vítimas.

Um morador da Lagoa da Cruz que conhece as vítimas, disse que elas retornavam de Barrocas às 15 horas, quando numa curva na região da localidade conhecida como Tanque do Cachorro, foram abordadas.

"Nesse trecho onde elas foram assaltadas, já aconteceram vários outros assaltos. Tá terrível a insegurança no nosso município, não temos mais paz, nem na feira se vai mais com tranqüilidade, é lamentável" afirmou um vizinho da professora assaltada.

Tempo depois desse ato, pessoas que transitavam na região da divisa entre Barrocas e Serrinha (Ladeira e Subaé), também tiveram aparelhos celular roubados. Áudios informando do crime circularam nas redes sociais, um forma de alertar os moradores.

Durante a semana operários que trabalhavam na ampliação de um açude no Povoado de Minação também foram assaltados, um deles teve celular e a carteira levada pelas ladrões.

Diante de insegurança que tomou conta do município, o prefeito José Jailson (Jai de Barrocas), segue se esquivando de responsabilidades, sem apresentar planos, nem buscar soluções, prefere encontrar um suposto culpado, alegando que segurança é dever do Estado. Em programas de rádio diz que a culpa é do Governo do Estado. Mas até o momento ele não apresentou documentos que possam ter sido enviados ao Governo solicitando reforço no policiamento.

Atualmente nem a chamada Polícia da Caatinga que já teve ponto de apoio na cidade, nem a Ceto que sempre realizou ações no município, tem atuado na região. A população vive assustada.

"Meu Deus! Em Barrocas não se pode nem mais ir a feira tranquilo, pois o fato de sair de casa já lhe põe em risco de assalto. A bandidagem tá tão ousada que não tem mais hora nem lugar para praticar seus crimes. Até quando viveremos esse drama? Quando é que nossos governantes tomarão alguma atitude ao invés de procurar culpados para a situação? Tá difícil!" escreveu numa rede social o Presidente do CME, Gilmar Mota.

@ Nossa Voz - Por Rubenilson Nogueira

Sem comentários:

Enviar um comentário