quarta-feira, 14 de fevereiro de 2018

Procura por peixes nos mercados, movimenta o comércio de Barrocas

Gelson da Farinha | Foto Rubenilson Nogueira
Segundo comerciantes do município que foram consultados por nossa reportagem, não está havendo queda considerável nas vendas, as famílias mantém a tradição e compram o pescado para o almoço da quarta-feira de cinzas, que marca o início da quaresma.

A Quarta-Feira de Cinzas é o primeiro dia da Quaresma no calendário Cristão ocidental (Católico). A Igreja recomenda que além da Quarta-Feira também na Sexta-Feira Santa os fiéis jejuem e se abstenham de carne. Seguindo informações, o sentido desta prescrição antiguíssima é levar os fiéis a se unir ao sacrifício de Cristo. 

Mantida a tradição, a busca por peixe movimentou os mercados, e nossa equipe foi conversar com os comerciantes do ramo, para saber mais sobre o consumo do peixe em Barrocas.
Ademilson Alves | Foto Rubenilson Nogueira
Apuramos que o peixe mas vendido no município é a corvina, peixe de água doce conhecido popularmente como Corvina, Pescada-Branca e Pescada-do-Piauí. Sua espécie é distribuída nos rios Parnaíba, Trombetas, Negro e Amazonas. Atualmente, vem sendo introduzida no Sudeste por empresas do setor hidrelétrico, nas Bacia do rio Paraná, do Prata e do São Francisco e nos açudes do Nordeste.

"O peixe gelado mais procurado é a Cruvina, esse é o mais vendido no mercado de Barrocas, é o mais caro entre os pescados. As pessoas mais humildes também compram a sardinha que tem um preço mais em conta. Outro peixe bem vendido (salgado), embora bem mais caro é o bacalhau", informou o comerciante Gelson da Farinha.

O comerciante Ademilson Alves (Deny de Dede), também colocou a corvina como o mais vendido, mas acrescentou outro nome à lista: "Cruvina continua sendo o mais procurado, entre os salgados o Mapará também tem bastante procura, ele substituiu o bacalhazinho que era bem vendido mas deixou de ser comercializado aqui. O bacalhau ainda vende bem mas não é como os demais" afirmou.


José Almir | Foto Rubenilson Nogueira
José Almir (Almir de Maciel) destacou: "Corvina, bacalhau e sardinha são os campeões de vendas". Sobre uma possível queda nas vendas em virtude da crise, afirmou: "Não há queda pois trata-se de uma tradição, as pessoas podem até comprar uma quantidade menor, mas não deixam de levar o peixe". 

Os preços praticados são variados, a curvina vai de R$9,00 (nove reais) sem tratar à R$15,90 (quinze reais e noventa centavos) em posta. A sardinha de R$8,50 (oito e cinquenta)  à R$11,00 (onze reais) o kilo. O bacalhau fica na faixa dos R$30,00 (trinta reais).

 @ Nossa Voz - Por Rubenilson Nogueira

Sem comentários:

Enviar um comentário