terça-feira, 13 de outubro de 2015

Barrocas: Diretor do Hospital Municipal Dr. José Maria de Magalhães Neto, divulga Nota de Esclarecimento sobre morte de gestante.


Hospital Municipal Dr. José Maria de Magalhães Neto
CNPJ-13.859.767/0001-12
Rua Torquato Gomes 168 – Tel: (75)3608-2105- Barrocas-Ba


Nota de esclarecimento

                A direção do Hospital Municipal de Barrocas, vem por meio desta  esclarecer o fato ocorrido na data 12/10/2015, referente a gestante L.J.F, que deu entrada na unidade dia 11/10/2015 as 23:51 hrs, a mesma foi atendida pela equipe medica, deambulando, verbalizando, estável, nega hipertensão e diabetes, após avaliação medica seu quadro clínico era de contração uterina fracas, segundo informações da própria gestante perda de liquido, sem antecedentes presentes de hipertensão arterial, durante todo o pré natal até a sua chegada no Hospital Santana.
               A gestante não tinha indicação absoluta de parto cesáreo, ao ingresso após toque vaginal sem evidência de dilatação de 1cm, caracterizado trabalho de parto. Por volta das 05hrs da manha, as dores e as cólicas se intensificaram, dilatando a 3 cm e sem evidencia do rompimento de bolsa rota. Após a troca de plantão as 08 hrs da manha o plantonista que assumiu o período, no dia 12/10/2015 evidenciando progressão normal, de trabalhos de parto de primigesta. Por volta das 11 hrs o plantonista evidencia que o trabalho de parto não esta  progredindo pela dilatação de 4 cm, dando seguimento no atendimento foi feito o relatório para colocar a paciente na regulação e também foi enviado fax para o Hospital de Conceição do Coité. Neste momento os familiares começaram a serem agressivos invadindo a unidade com xingamentos e alto tom de voz, após essa situação o medico plantonista foi obrigado  ir a delegacia fazer um boletim de ocorrência para se resguardar. Durante essa saída do medico os acompanhantes e familiares assumiram a responsabilidade de levar a gestante para o Hospital Santana. Segundo informações previa acordo econômico, a gestante foi acompanhada por uma técnica de enfermagem na ambulância, as 13:15hrs, durante esse trajeto fomos informados pela técnica que a gestante foi estável PA120x80, e só queixando –se de dor de parto. foi recebida pelo Hospital Santana verbalizando, consciente, e estável. Por volta das 20:00 hrs, fomos comunicados do óbito da gestante e da sobrevivência do bebê. Uma hora depois da retirada da mesma da Unidade a regulação chamou-a para um hospital de grande porte. Como a mesma já não estava na unidade não foi mais possível ocupar a vaga.
          Informamos também que é dever do diretor de Administração do Hospital, trabalhar de segunda a sexta das 08:00 ás 17;00hs,entretanto, há 2 anos  e 11 meses que estamos a frente desta Unidade, sempre trabalhamos aos sábados domingos e feriados, entramos as 08:00 hs e muitas vezes permanecemos na unidade ate tarde a noite, o que não é comum em nenhum hospital da região, isso sem receber hora extras. Sempre fizemos o nosso trabalho pautado na responsabilidade, ética e amor ao próximo, colocando a vida sempre em primeiro lugar. No final de semana fui para o povoado de Curralinho, descansar e ficar no aconchego da família da minha esposa. Não fui informado em nenhum momento que a unidade estava com paciente com quadro clinico atípico, justamente por que segundo o médico a mesma estava bem e não apresentava nenhum risco.
          O sistema da saúde do Estado ainda é insuficiente ás demandas e nós enquanto hospital (HPP) não dispomos de maiores recursos, além do mais dependemos da Central de Regulação para encaminhar os pacientes de Média e Altas complexidades para as Unidades de Referência. Ficando impossibilitados de colocar o paciente em uma ambulância e sair batendo de porta em porta em busca de atendimento; Sujeitos a responder judicialmente por tal ação. Mesmo assim sempre o fizemos para evitar tragédias. 
         Desta forma As informações, disseminadas nas ruas da cidade de forma irresponsável, por alguns que ao invés de ajudar buscam atrapalhar o sistema  e ganhar proveito pessoal, mesmo nas situações de dor, não procede .Há tempo informamos que o médico plantonista pediu exoneração do cargo e não irá mais atuar no município, mesmo sabendo da sua conduta. Esta direção convocou todos os membros da equipe hoje as 15:00 hs para prestarem esclarecimentos sobre a estadia da gestante na unidade. Esperamos que a polícia técnica, (caso o corpo tenha sido encaminhado para este fim), possam  esclarecer  (via laudo) o que de fato houve. Não iremos descansar enquanto não houver a resposta para tais indagações. Pedimos a família que busque esclarecimento do hospital que fez o parto da gestante.
         Compartilhamos da dor da família e lamentamos profundamente o ocorrido, uma vez que sabemos que não é fácil perder um ente querido de forma tão prematura e trágica, uma jovem que teria um futuro pela frente. Que Deus proteja a todos e abençoe esta família que possam na fé cristã que temos, buscar o conforto no pai celeste todo poderoso.
                    
Robenildo dos Santos Brito
Diretor Geral do Hospital

Sem comentários:

Enviar um comentário