segunda-feira, 18 de abril de 2016

Barrocas: Jovem Estudante de Direito escreve sobre a abertura de Processo de Impeachment contra a Presidenta Dilma


Rodolfo Queiroz da Silva, 20 anos, está no 5º Semestre de Direito na Universidade Católica do Salvador, o jovem tem debatido constantemente a política no Brasil, principalmente nas redes sociais, apesar de afirmar que não é petista, com discordâncias à posições do governo ele sempre se se mostrou contrario ao que chama de Golpe. Rodolfo é filho do vereador e ex-presidente da Câmara Eclécio Queiroz (PR).

Barroquenses,


Ontem não ocorreu uma sessão, mas sim, um espetáculo circense, espetáculo esse que mitigou a república e consequentemente a democracia. O que mais me entristece não é o voto favorável ao parecer do Impeachment, mas a justificativa proferida pelos parlamentares!

Corruptos se intitulando defensores da justiça, celebrando o fim da corrupção, mesmo sabendo que corruptos, corruptores e ditadores ascenderão ao poder. Pior que isso, é visualizar parlamentares exaltando o golpe militar, e também, torturadores (Carlos Alberto Brilhante Ustra, ex-chefe do DOI-CODI e torturador da atual Presidente!), isso, em pleno Estado Democrático de Direito. Será se esses querem o bem do país, ou almejam apenas o exercício arbitrário do poder?

Além disso, é inaceitável que um procedimento dessa magnitude tenha sido dirigido por um corrupto e inquisidor, que deflagrou o Impeachment por vingança, e não, por Crime de Responsabilidade, assim sendo, o processo em sua essência nasceu viciado, não somente pelo abuso de poder, mas também, pelo cerceamento do amplo contraditório. 

Mais repugnante que insuficiência jurídica, é ouvir aplausos a Eduardo Cunha, este historicamente envolvido em escândalos corruptivos, e vaias aos guerreiros que o combatem. Como afirmou Alessandro Molon “se este processo tivesse algo a ver com o combate à corrupção ele não seria liderado pelo deputado Eduardo Cunha”.

Ademais, entendo que, os deputados não aprovaram o parecer devido à constatação de Crime de Responsabilidade (pois hoje ficou claro que ele não existiu), mas devido inconformidade com a derrota proporcionada pela população nas ultimas eleições presidenciais. 

Hoje o impeachment se generalizou, tornando-se um instrumento de Recall, e não um instrumento Político-Jurídico.

O meu maior medo não reside no dia de amanhã, mas no dia que esse processo realmente se findar, pois direitos serão mitigados, e regiões esquecidas. Deus ajude que eu esteja errado!

Quero que todos os corruptos e corruptores sejam punidos, contudo, essa punição deve ser geral, e não partidária. A justiça não pode ser parcial, e muito menos direcionada.

A luta não se acaba aqui, tenham certeza que ela nunca se acabará, pois não aceitaremos a redução de direitos conquistados através de luta e sangue de milhares de Brasileiros.

Por fim, "ninguém respeita a constituição, mas todos acreditam no futuro da nação" (trecho da música - Que país é esse do Legião Urbana). 

Rodolfo Queiroz da Silva
@ Nossa Voz

3 comentários:

  1. Muito bom brother, continue assim, a ucsal tem honra em ter alunos que expõe a opinião como você, da qual muitos preferem se calar diante disso! Cadê o Estado de bem estar social? É este!? Creio que não, mais a população infelizmente insiste em crê que dia após dia os políticos com suas promessa impiedosas por serem falsas iludem nosso povo conjuntamente com esta mídia farsante que beneficia os grandes empresários e os demais corruptores da democracia, que podemos chamar de demagogia. Boa Sorte e viva a Democracia!

    ResponderEliminar
  2. Imaginei que encontraria algum argumento jurídico, como dispositivo legal, diplomas, doutrina...

    ResponderEliminar