sexta-feira, 16 de abril de 2021

Vereador eleito em Conceição do Coité, poderá perder mandato após suposta fraude na Cota de Gênero do partido PSC

Ernandes de Tó foi eleito, com 953 votos, (2,19%)

Através de um pedido da 'Coligação pra Coité Seguir Mudando', que reúne: o PT, PSD, PP e PCdoB, a Justiça Eleitoral de Conceição do Coité moveu uma Ação de Impugnação de Mandato Eletivo (AIME), para anular os votos recebidos na eleição de 2020, pelo Partido Social Cristão por conta de uma suposta fraude na Cota de Gênero.

O PCS em Coité contou com 16 candidatos, porém, apenas o candidato Ernandes de Tó conseguiu ser eleito, ele obteve 953 votos, referente à 2,19% dos votos válidos. Meses após a diplomação e a tomada de posse, o Vereador poderá ser cassado conforme decisão da Justiça Coiteense. A decisão ainda cabe recurso.

Imagem Reprodução

O advogado Yago Nunes declarou que a ação foi ajuizada logo após a diplomação dos eleitos, com o objetivo de ver reconhecida fraude à cota de gênero praticada pelo PSC e pelos seus candidatos ao cargo de vereador: “A fraude consiste na apresentação, pela agremiação partidária, de candidaturas femininas fictícias, popularmente conhecidas como 'laranjas', apenas para respeitar o percentual mínimo de mulheres concorrendo. Essas mulheres não fizeram campanha, não arrecadaram recursos e nem efetuaram despesas, e nenhuma delas teve mais do que cinco votos. Diante disso, o juiz reconheceu a procedência da ação, o que implica anulação de todos os votos recebidos pelo partido, com nova contagem e nova totalização dos votos nas eleições proporcionais em Conceição do Coité”, rassaltou Yago, que juntamente com os advogados Kaick Cruz, Yuri Oliveira e Jeronimo Mesquita, moveram a ação.

@ Nossa Voz da Redação - com informações do Calila Notícias

Sem comentários:

Publicar um comentário