domingo, 1 de maio de 2016

Todas as honras aos Trabalhadores Barroquenses, responsáveis por Barrocas ser o que é.


Muito se fala do progresso e desenvolvimento do pequeno município de Barrocas, localizado na Região Sisaleira, interior da Bahia, pouco se faz para destacar o importante papel do trabalhador nesse contexto.

Não há dúvidas, Barrocas é terra de gente lutadora, um povo que não aceita limites, não se conforma fácil, que corra atrás dos seus sonhos e quer crescer. O barroquense é acima de tudo determinado, sabe da sua capacidade de trabalho, conquista objetivos e está sempre na busca por dias melhores.

Com gente assim, o município não para de crescer e se desenvolver, apesar de pequena (cerca de 15 mil habitantes), se destaca até mesmo entre cidades maiores da Região, para confirmar, bastar uma visita à sede e aos seus povoados que até parecem pequenas cidades.

O profissional natural de Barrocas se destaca em todas as áreas que atua, cidadãos que aprendem desde sede que não basta realizar o serviço, é preciso fazer bem feito e a cada dia melhor. Com esse perfil os barroquense assumem posições importantes, em grandes empresas nos vários estados brasileiros. 

Por isso nem todos os barroquenses podem voltar para casa no final do dia de trabalho, rever a esposa, os filhos, dormir com a família acontecem poucas vezes no ano. São os conhecidos trecheiros que deixam suas marcas nos quatro cantos do país e aqui, mas carregam no peito a saudade.

Os que ficam, tem como compromisso manter a tradição da cidade dos grandes mestres, e também cumprem com seu papel. Seja no comércio, na agricultura, nos serviços em geral, na educação e na saúde, o trabalhador barroquense se destaca e faz desta cidade uma referência.

Por isso e tanto mais que não foi mencionado, neste dia 1º de Maio, Dia Mundial do Trabalhador, a nossa humilde homenagem vai para todos os trabalhadores deste terra, estejam aqui ou há milhares de quilômetros. 

Toda homagem ainda será pouco, mas quem sabe um dia teremos um monumento que destaque desde o trabalhador do motor de sisal, nossa principal renda no passado e ainda tão importante no presente, aos trecheiros que não param de impulsionar nossa economia mesmo em tempos de crise.

@ Nossa Voz – Por Rubenilson Nogueira


Sem comentários:

Enviar um comentário