segunda-feira, 9 de maio de 2016

Barrocas: Vereadores da oposição são bastante criticados na Redes Sociais pela proposta de suplementação de apenas 3%.

Reprodução: Facebook
As polêmicas em torno das discussões da aprovação da baixa Suplementação Orçamentária no município de Barrocas, parece não ter fim, depois de mais uma movimentada Sessão da Câmara de Vereadores na última quinta-feira (05), o assunto ganhou as redes sociais e já é o mais comentado.

"Alguns vereadores de Barrocas perderam a capacidade de discernir qual é seu papel enquanto fiscalizador do poder executivo municipal e passou a assumir o papel de engessador da gestão. Se existem erros por parte do prefeito, façam o que são de fato vosso papel; fiscalizem, denunciem, não vejo isso acontecer, porque será? Agora tomar medidas que afetam diretamente a população? Isso é um Jogo Muito sujo! De tudo isso há algo de bom! É ano eleitoral e a população de Barrocas, ao contrário do que pensam, não é boba, e não esquecerá de tais atitudes ao irem as urnas" (sic) escreveu o professor Gilmar Mota.

Reprodução: WhatsApp
Além dos textos, surgem várias imagens nas quais os vereadores Antonio Carlos (Tonho da Loja), Miguel Carvalho (Guel), João Luiz Damião (Dudinha), Waldir Ferreira (dida) e José Santiago (Nitinho) são acusados de estarem tentando prejudicar o Prefeito e assim acabam atingindo diretamente a população.

Um imagem recém compartilhada (acima), apresente um comparativo dos atuais 3% propostos pelos vereadores e o que demais prefeitos da região do Sisal contam em se tratando de suplementação. Em Serrinha segundo a imagem, o Prefeito Osni Cardoso conta com 40%, mesma porcentagem aprovada na Câmara para o Prefeito de Teofilândia Professor Adrino trabalhar, em Conceição de Coité Francisco de Assis conta com o dobro, ou seja 80% de suplementação. A revolta dos que se opõe a proposta dos vereadores da oposição que são maioria na Câmara é que para o Prefeito José Almir que inclusive teve as contas aprovadas pelo TCM, foi dado apenas 3%.

As criticas sobraram até para o moderado vereador José Santiago, ele na última sessão pediu vista do processo e também é taxado de "vereador contra a população".

Foto Reprodução WhatsApp
Para justificar a suplementação que já chegou a ser de 100% no município e neste ano caiu para 4%, os vereadores alegam irregularidades cometidas pelo prefeito, como altos valores gastos com polda de árvores e cascalhamento de estradas de terra, segundo acusam, porém nenhuma denúncia formal que tenham sido feita junto aos órgãos competentes foi apresentada até o momento ao não ser citações em discursos dos edis na própria câmara de vereadores e em áudios que circulam no whatsapp. 

@ Nossa Voz - Por Rubenilson Nogueira - Imagens Reprodução

Sem comentários:

Enviar um comentário