sábado, 12 de novembro de 2016

Segundo MPF, Barrocas tem 204 perfis suspeitos de receberem o Bolsa Família irregularmente


O Levantamento feito pelo Ministério Público Federal divulgado na sexta-feira (11) indica que Beneficiários ‘suspeitos’ receberam mais de R$ 28 milhões do Bolsa Família de forma irregular na região sisaleira.

Dos mais de 694 milhões pagos a beneficiários do programa Bolsa Família nos municípios que compõem o Território de Identidade do Sisal, localizado na região nordeste da Bahia, entre 2013 e maio de 2016, mais de R$ 28 milhões podem ter sido repassados a 7.202 pessoas avaliadas como suspeitas. Os dados são de um levantamento realizado pelo Ministério Público Federal (MPF) em todo o país e divulgado na sexta-feira (11).

Em Barrocas, município com pouco mais de 15 mil habitantes, localizado na micro região de Serrinha, são 204 benefícios sob suspeita de receberem os valores indevidamente. Entre as pequenas cidades do território, Barrocas é uma das que apresenta o maior percentual do total de benefícios existentes no município, ou seja 4,34%.

O MPF informou que o levantamento usou dados cruzados fornecidos pelo próprio governo federal, pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), pela Receita Federal e pelos Tribunais de Contas estaduais e municipais, na maior mobilização de instituições para fiscalizar o programa.

Segundo o ‘Raio-X Bolsa Família’, mais de 870 mil beneficiários do programa Bolsa Família em todo o país são suspeitos de não cumprir os requisitos econômicos estabelecidos pelo governo federal para recebimento do benefício. Esses perfis foram divididos em cinco categorias: empresários, servidores públicos (clã de até quatro pessoas), falecidos, doadores de campanha e servidores públicos doadores de campanha.

Apenas 31 cidades não apresentaram indícios de pagamento suspeito. A Bahia foi o estado que repassou mais recursos para perfis suspeitos. O resultado aponta que R$ 536.716.597,00 foram dirigidos de forma supostamente irregular a 141.481 beneficiários que devem ter seu cadastro revisado.

Na região sisaleira, Serrinha foi o município que teve mais perfis suspeitos identificados: foram detectadas 683 pessoas consideradas suspeitas de receber o benefício de forma irregular, o que representa 3,66% dos beneficiários cadastrados. O município com maior incidência percentual de perfis suspeitos foi Valente, com 8,88% de recursos do programa pagos a 514 perfis suspeitos.

Dos demais municípios do território do sisal, Araci teve 630 pessoas consideradas suspeitas de receberem o Bolsa Família de forma irregular, o que representa 3,52% dos beneficiários cadastrados; Barrocas 204 (4,37%); Biritinga 233 (3,75%); Candeal 118 (3,96%); Cansanção 651 (5,76%); Conceição do Coité 650 (4,17%); Ichu 83 (5%); Itiúba 291 (2,69%); Lamarão 57 (2,04%); Monte Santo 576 (3,61%); Nordestina 68 (1,49%); Queimadas 349 (4,04%); Quijingue 437 (5,12%); Retirolândia 285 (7,21%); Santaluz 322 (3,20%); São Domingos 143 (6,24%); Teofilândia 270 (4,03%) e Tucano 638 (3,86%).

@ Nossa Voz com Informações do Notícias de Santaluz

Sem comentários:

Enviar um comentário