terça-feira, 8 de novembro de 2016

Barrocas: Iniciadas no período eleitoral, obras inacabadas deixam duvidas no ar; Será que vão ser concluídas?

Rua Antônio Alves de Queiroz, Bairro da Estação - Foto Victor Santos
Próximo do fim do segundo mandato do Prefeito José Almir, que deixará o cargo em 31 de dezembro, diversas obras paradas deixam a população insegura quanto a conclusão, algumas começaram há anos, a exemplo do Estádio de Futebol e Matadouro Frigorífico,  outras iniciadas no período eleitoral, após a eleição também estão paralisadas. 

Na Rua Antônio Alves de Queiroz, conhecida 'Rua de Baixo', a Prefeitura iniciou a obra de revitalização e construção de uma 'passarela' em um trecho de aproximadamente 1000 metros, segundo os moradores, a obra desde a segunda-feira (7) está parada e prejudicando quem mora nas casas próximas; "não tá bom, a casa enche de terra e a chuva quando vier vai ser um perigo enorme" explicou a aposentada Maria Faustina de Jesus Santos, 74 anos". 
Ana Miguelina, cuidava de uma horta que foi destruída para a obra ser executada
Já a senhora Ana Miguelina dos Santos, 69 anos, demostrou está feliz com a obra, mas também lamentou a paralisação; "A gente ta gostando da obra, aqui tudo era pasto e enchia de animal, só que como eu tenho problema de saúde, fico 'cansando' com a poeira da obra, e agora que parou é mais ainda porque tá tudo acumulado, tá ficando complicado", a moradora lamentou pois teve que remover uma horta orgânica que cultivava na área, para a que a obra acontecesse; "eu cuidava dos pés de cebola, pimentão, quiabo, pepino e coentro, usava para mim e até vendia aos vizinhos, só que chegou as máquinas e desmanchei tudo, justamente por causa dela" afirmou. A obra está parada e não encontramos trabalhadores no local.

A reforma do Cemitério não aconteceu, a pavimentação iniciada foi interrompida
Em outro ponto da cidade, desta vez próximo ao Cemitério Municipal, há mais uma obra recém iniciada e que também já parou. Um morador que pediu para não ser identificado lamentou a situação da pavimentação; "esse calçamento era pra ser prioridade, um lugar desse merece respeito" indignou-se. Após instalarem os meio-fio e despejado os caminhões de areia para a pavimentação, não foram mais visto trabalhadores no local. 

Em uma das principais ruas da cidade, a Monsenhor Carlos Olímpio, que recebeu um trecho em pavimentação asfáltica que contemplou o centro da cidade, mais um exemplo da atual situação, uma parte do calçamento ficou sem receber o material, dando a entender que a obra não foi concluída, pois segundo informações a pavimentação contemplaria mais ruas, além de seguir até a entrada da cidade, trecho duplicado da BA411.

A pavimentação asfáltica foi também interrompida após a eleição
A população espera a conclusão das obras e aguarda um posicionamento do atual prefeito, "Almir tem que saber que ele é prefeito até o dia 31 de dezembro" lembrou um senhor que passava pelo local.
@ Nossa Voz - Da Redação Por Rubenilson Nogueira e Victor Santos

Sem comentários:

Enviar um comentário