segunda-feira, 25 de fevereiro de 2019

Barrocas: Laudo indica que incêndio que destruiu ônibus da saúde não foi proposital e sugere falha elétrica

Incêndio não foi criminoso - Foto: Arquivo Nossa Voz (Reprodução)
O laudo de 13 páginas do Departamento de Polícia Técnica, veiculado a Coordenadoria Regional de Policia Técnica de Serrinha, apontou que a provável causa do incêndio que destruiu um micro-ônibus da Secretaria Municipal de Saúde, no domingo dia 15 de outubro de 2017, foi uma possível falha no sistema elétrico e de natureza acidental. Em outras palavras, o incêndio não foi criminoso, hipótese que chegou a ser propagada na época que o veículo foi consumido pelo fogo num lava-jato em frente a Prefeitura Municipal (ver aqui).

Passado um ano e três meses do acidente, o laudo da perícia infere que uma pane elétrica é a possibilidade mais provável, os peritos chegaram a esta posição após analisarem, fotos, videos e componentes encontrados no local, assim como a avaliação das ferragens. Diante de boatos sobre as possíveis causas do incêndio, o Conselho Municipal de Saúde, solicitou o laudo técnico com os detalhes acerca do incidente, que agora se torna público. 

O incêndio aconteceu num domingo, quando o lava jato estava fechado - Imagem reprodução
Na ocasião, após o acidente, tanto no meio político como até mesmo por parte de pessoas públicas, foi levantada a hipótese de que o incêndio teria sido proposital, alguém teria colocado fogo no veículo, um ato que se comprovado, configuraria-se crime.

O que diz a conclusão do laudo: "De acordo com os vestígios materiais constados e examinados no local, face os elementos levantados e posteriores análises, não se pode determinar a causa do incêndio, porém as análises nos levam a inferir baseado em estudo da dinâmica da fogo, deduzidos a partir da interpretação e análise dos padrões de combustão, relato de testemunhas, e fotografias obtidas durante os exames, nos permite descartar qualquer possibilidade de incêndio deliberado. Há potenciais fontes de ignição no motor, porém as análises e circunstâncias em que o evento ocorreu, eliminadas todas as outras causas, nos permite inferir de que a provável causa foi uma falha elétrica. Neste sentido o incêndio teve natureza acidental" informa o laudo assinado pelo perito criminal, Alisson César Abreu da Silva. Veja imagem da página 10, onde consta a conclusão, abaixo.

Clique para ampliar
Resta agora saber, se alguém da Prefeitura Municipal irá se manisfestar sobre a conclusão do laudo. Diante do mesmo, surgem alguns questionamentos: estaria esse veículo sem passar por revisão, com as necessárias e devidas manutenções periódicas em dias? Quem é o responsável pelo setor, e o que tem a dizer diante do que revela o laudo da perícia? 

Novo veículo foi comprado pela atual administração
Nós tentamos contato com a Secretária Municipal de Saúde, Débora Queiroz, para que ela comentasse o laudo, mais até o fechamento dessa matéria (17:07) não obtivemos a resposta.

Em janeiro de 2018, outro veículo Volares, no valor de R$ 360.000,00 (trezentos e sessenta mil reais) foi adquirido pelo prefeito Municipal, José Jailson e entregue simbolicamente à população (ver aqui).
@ Nossa Voz Da Redação (Por Rubenilson Nogueira e Victor Santos)

Sem comentários:

Enviar um comentário