quinta-feira, 25 de abril de 2019

"A minha mãe!" texto escrito por uma estudante do Colégio Municipal de Barrocas

Estudante Wilma Kailane - Foto: Kauã Sherman
No segundo texto da série que será publicada no JNV, foi escrito pela estudante Wilma Kailane. A produção e seleção dos conteúdos teve a coordenação da Professora de Língua Portuguesa Mônica Souza Cerqueira.

Ao JNV a docente informou que a atividade de produção é parte do trabalho proposto para a Olimpíada Brasileira de Língua Portuguesa que prevê a produção de alguns gêneros textuais para os estudantes de todo o Brasil e, às turmas de 9º ano o foco é a Crônica , com perspectiva de que estes textos passem por processos de escrita até chegar a um produto final que poderá ser publicado e divulgado num evento nacional .

Leia abaixo o segundo texto, clique no link para ler o primeiro texto publicado na quarta-feira (24) (ver aqui).
A minha mãe

Acordei pela manhã , e já atrasada , ás 7:30, deparei-me com o café da manhã: pães, leite e alguns biscoitos. Então vi a minha mãe rapidamente saindo para o trabalho. Tudo pronto na mesa, tomei meu café e fui para a escola desanimada , com sono e com vontade de retornar para casa.

Ao voltar para casa depois da aula , minha mãe esperava-me para o almoço com um belo sorriso no rosto; eu totalmente cansada , morrendo de calor , tomei um banho e já almocei para poder pegar meu celular.

No final do dia , sozinha em casa, sai no quintal e comecei a observar o pôr do sol. E lá se ia mais um dia! De repente reparei o tanto que minha mãe se importava comigo: de manhã acordei em cima da hora ,mas ela acordou muito mais cedo para preparar um café da manhã, espera-me todos os dias para almoçar com um sorriso. Com certeza ela está mais cansada que eu ,mas nunca demonstra . Por tudo isso pensei : E se ela não tivesse acordado mais cedo do que eu? E se amanhã não existisse mais aquele sorriso no almoço? Nossa! Como seria ruim!

Quantas vezes reclamei da vida , de saudades , e com certeza, ela tinha mais motivos para reclamar. Agradeci a Deus por Ele ter-me dado um anjo, uma amiga , uma companheira .

Neste tempo minha mãe já ia chegando com os pães do café e sem que ela entendesse a beijei, abracei, dei um obrigada por tudo e disse que a amo. Hoje todos os dias antes de dormir agradeço, abraço , beijo e demonstro minha gratidão , pois sei que amanhã pode não existir e aquele sorriso tornar-se apenas uma saudade.

                                                               Wilma Kailane - 9º ano Matutino

@ Nossa Voz Educação - Os texto são produzidos por alunos do Colégio Municipal de Barrocas, com coordenação da Professora Mônica Cerqueira

Sem comentários:

Enviar um comentário